Clique e assine a partir de 8,90/mês

Fernanda Montenegro: ‘Nos empurram para campo de concentração cultural’

Em nova postagem contra a perseguição às artes, atriz compara situação à vivida por vítimas do nazismo

Por Da redação - Atualizado em 7 nov 2017, 09h12 - Publicado em 6 nov 2017, 21h21

Fernanda Montenegro voltou a falar sobre a perseguição às artes em uma publicação em sua página no Facebook nesta segunda-feira. “Estão nos encaminhando para um campo de concentração cultural”, escreveu a atriz, fazendo referência aos centros de confinamento para os quais eram levadas as vítimas do nazismo nas décadas de 30 e 40.

Fernanda vem vocalizando sua preocupação com o universo das artes desde setembro, quando a exposição Queermuseu foi fechada em Porto Alegre após protestos por causa do conteúdo da mostra. Na época, escreveu em sua página: “Meu protesto a respeito de qualquer censura à expressão da arte no Brasil”.

Em meados de outubro, demonstrou seu apoio a José Celso Martinez Corrêa, dramaturgo que está em embate com Silvio Santos, que quer construir torres residenciais no terreno ao lado do Teatro Oficina, cujo edifício é tombado. “A partir desse Bexiga, dessa Oficina, o Zé nos traz o desassossego mais provocador, mais tonitruante, mais triunfante de São Paulo e do Brasil culturalmente falando. O Oficina dá ao Bexiga a dimensão da inquietação da Arte na vida e projeta esse bairro à altura da Cidade de São Paulo e do País. O Oficina é um marco histórico, cultural, visceral de uma Cidade, de um Estado”, escreveu.

Continua após a publicidade
Publicidade