Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Exposição de arte com foco no crescimento humano

Por Da Redação 13 nov 2011, 13h08

Por Equipe AE

São Paulo – A “Transformação da argila em cerâmica” é o tema da exposição gratuita que o Instituto de Arte Cerâmica (IACE), da Fundação Mokiti Okada (FMO), promove até o dia 19 de novembro, em São Paulo. A mostra é resultado do processo criativo de alunos do ano de 2011 e tem o objetivo de promover o desenvolvimento artístico e estimular o crescimento humano, através da manifestação dessa arte. Trabalhar a arte como forma de crescimento e evolução é um dos objetivos do Instituto de Arte Cerâmica, que atua há 29 anos no mercado.

A exposição está aberta a todo o público, de segunda à sexta-feira, das 10 às 19 horas, na sede da fundação, na rua Morgado de Mateus nº 77, no bairro da Vila Mariana. A Fundação Mokiti Okada, instituída em 19 de janeiro de 1971, é uma entidade jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, considerada de utilidade pública federal e estadual e desenvolve, em todo território nacional, projetos e atividades nas áreas da arte, educação, pesquisas científicas, esportes, meio ambiente, agricultura natural e saúde, visando a formação de uma sociedade harmoniosa e progressista, com o objetivo de concretizar a trilogia Verdade-Bem-Belo da filosofia de seu patrono Mokiti Okada.

Canção e natureza

Uma outra iniciativa recente da Fundação Mokiti Okada foi o Festival da Canção Arte da Natureza, que teve como um dos focos o estímulo à consciência do ser humano para a necessidade de respeitar o meio ambiente, sobretudo, por ser o responsável pela manutenção da vida, em todas as suas formas de manifestação. Segundo o presidente da fundação, Rogério Hetmanek, que integrou a seleção brasileira tricampeã de futebol em 1970, através da música, o festival colocou em evidência a necessidade do ser humano respeitar a verdade das leis da natureza, pois é preciso criar uma consciência coletiva comprometida com a sua prática. “Valeu a pena ver a arte à serviço da verdade”, frisou.

A grande final, realizada no dia 30 de outubro, no Ginásio do Ibirapuera, reuniu 4.300 pessoas e teve a participação do Coral Mokiti Okada e show de encerramento de Jair Rodrigues e seus filhos Luciana Mello e Jair de Oliveira. Das 20 canções selecionadas, de um total de mais de mais de 300 inscrições, foram premiadas em primeiro lugar a canção “Pau Brasil” de Laudismar Deptulski, de Colatina, Espírito Santo, em segundo lugar a música “Por onde o Rio passa” de José Roberto Corrêa Ribeiro e Paulo Cesar Andrade, de Belo Horizonte, Minas Gerais, e em terceiro lugar “A chave do tamanho” de Mariane Guerra e Alex Gomes, do Rio de Janeiro. Os prêmios para os vencedores foram de R$ 20 mil, R$ 10 mil e R$ 5 mil, respectivamente.

Continua após a publicidade
Publicidade