Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

EUA alavancam mercado de arte em 2012

Por Da Redação 5 mar 2013, 17h37

O mercado mundial de arte contemporânea cresceu 6,1% entre julho de 2011 e junho de 2012, desempenho que se deve sobretudo ao dinamismo de Nova York, já que o mercado chinês registrou queda de vendas nas casas de leilão. O balanço foi divulgado nesta terça-feira pela instituição francesa Artprice, especializada no movimento do mercado de arte, e foi feito em parceria com o grupo Artron, da China, cuja filial Amma (Art Market Monitor of Artron) reúne estatísticas sobre o mercado de arte na terra de Mao.

No ano passado, as vendas de arte em leilões públicos de fine art (pinturas, esculturas, desenhos, fotografias, estampas) alcançaram 2,27 bilhões de dólares, de acordo com balanço da Artprice e da Artron, intitulado “Um diálogo entre Ocidente e Oriente”. As vendas por leilão nos Estados Unidos, país que conserva o segundo lugar no mercado mundial de arte, aumentaram 21% e representaram 26,10% das vendas de peças contemporâneas em todo o mundo. A China manteve a sua posição de líder com uma participação de 38,79% no mercado contemporâneo, mas o volume de suas vendas em leilão caiu em relação a 2011.

Com o bom desempenho do mercado americano, o mercado ocidental como um todo (América, Europa, Austrália, Nova Zelândia) cresceu 5,5%, alcançando um total de vendas de 7,2 bilhões de dólares. Já o mercado da arte na Europa perdeu terreno, principalmente por causa da crise econômica que atravessa o continente.

(Com agência France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade