Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Estácio e Rocinha abrem temporada de ensaios técnicos na Sapucaí

Ainda com pouca presença de público, escolas de samba do Rio iniciam preparação para o Carnaval 2013. Minuto de silêncio lembrou a morte de Oscar Niemeyer

Por Da Redação 10 dez 2012, 12h08

A temporada de ensaios técnicos para o Carnaval 2013 foi aberta neste domingo, na Marquês de Sapucaí, com Acadêmicos da Rocinha e Estácio de Sá, escolas de samba da Série A (antigo Grupo de Acesso). A surpresa ficou por conta da pontualidade e a organização promovida pela Lierj – nova liga criada para substituir a Lesga, extinta após a polêmica em torno do título da Inocentes de Belford Roxo, este ano. Nas arquibancadas, a presença do público ainda foi tímida, como é de costume nos primeiros ensaios.

Às 20h, a Rocinha começou seu treino na Passarela do Samba, com a participação de cerca de 1.500 componentes. Com o enredo “Mistura de Sabores e Raças: Uma Feijoada à Brasileira”, a Acadêmicos da Rocinha será a oitava escola a desfilar na sexta-feira de carnaval, no Sambódromo. Em 57 minutos, a escola cruzou a pista, embalada pela bateria Ritmo Avassalador, de mestre Maurão. Outro destaque positivo foi a comissão de frente, comandada pelo experiente Sérgio Lobato, que apresentou uma coreografia criada especificamente para o ensaio.

O casal de mestre-sala e porta-bandeira, Diogo e Ana Carolina, levou um susto em frente ao primeiro módulo de jurados, quando a bandeira enrolou, o que não é permitido no regulamento. A dupla lembrou que os ensaios técnicos são importantes justamente para corrigir esse tipo de falha. A porta-bandeira contou que teve um problema com o talabarte, que sustenta a bandeira. “Fiz um talabarte e ele arrebentou no início. Foi bom até como teste”, disse Ana Carolina.

Depois da Rocinha, foi a vez da Estácio de Sá. O intérprete Leandro Santos pediu um minuto de silêncio pela morte do arquiteto Oscar Niemeyer, criador do Sambódromo, que morreu no último dia 5. A Estácio, que traz o enredo “Rildo Hora: A ópera de um menino… No toque do realejo rege o seu destino”, apresentou-se em 53 minutos e mostrou disposição para brigar pelo título da Série A, apesar de precisar de ajustes. A primeira metade da escola, com as alas que vinham à frente da bateria, pecou ao cantar pouco – algo que pode ser corrigido até o desfile oficial. A lição pode estar dentro da própria escola: a segunda metade dos componentes deu um verdadeiro show nesse quesito.

O homenageado Rildo Hora, produtor musical e arranjador dos álbuns de Zeca Pagodinho, participou do ensaio e se disse feliz com o resultado. “Eu não consigo descrever o sentimento de ser enredo da Estácio. A parte que mexe comigo é quando fala do trem. Fui criado em Madureira e andei muito com o Candeia e o Zé Keti, isso me emociona”, disse.

O casal de mestre-sala e porta-bandeira, Daniel e Alcione, fez suas apresentações sem contratempos. A rainha de bateria Luana Bandeira, do programa Caldeirão do Huck, também foi uma das atrações do ensaio. A Estácio de Sá será a sexta escola a entrar na Avenida na sexta-feira de carnaval, no dia 8 de fevereiro.

Continua após a publicidade
Publicidade