Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Ernesto Cafés Especiais é o campeão da categoria em Brasília

Grãos garimpados de pequenos produtores, uma área externa agradável e comidinhas feitas lá mesmo são os trunfos do espaço

Por Mirela Mazzola Atualizado em 31 ago 2017, 21h43 - Publicado em 19 ago 2017, 02h00

Antes de abrir o próprio negócio, a mestre em história Juliana Pedro passou de frequentadora assídua de cafeterias a entusiasta estudiosa do assunto. Fez cursos de barista, garimpou fornecedores e uniu- se a especialistas como Hugo Wolff, com quem descobriu bons achados na Serra do Caparaó (MG). É o caso dos grãos Zé Homero, batizados com o nome do produtor. “Mesmo em uma só região, cada cafeicultor tem seu cuidado, sua particularidade, e queremos valorizar isso”, diz ela. Todo dia são moídas duas variedades de café para expressos (em geral, uma com baixa acidez e a outra mais complexa). Cada xícara custa R$ 6,00 ou R$ 8,00. Nas versões passadas em coador Hario V60 (R$ 10,00), Chemex (R$ 14,00), Aeropress (R$ 8,00) e prensa francesa (R$ 9,00), é possível escolher entre seis e oito microlotes. A clientela se espalha pela bem aproveitada área externa para provar as bebidas acompanhadas de comidinhas preparadas lá mesmo. No menu, entram pães de fermentação natural, como o 100% integral com mel e o de vinho com gorgonzola (R$ 12,00 cada um). Há ainda pão de queijo da Serra da Canastra (R$ 4,50) e pamonha assada (R$ 8,00). O espaço sob a copa de uma mangueira com filetes de luzes recebe de tempos em tempos eventos especiais. Aos sábados, por exemplo, podem rolar feira de produtos orgânicos, venda de arranjos florais e até um estúdio com tatuadores que criam desenhos com a temática do café (a proprietária Juliana leva o traço de um moedor manual no braço).

O jardim externo do Ernesto Cafés Especiais Telmo Ximenes/VEJA

115 Sul, bloco C, loja 14, (61) 3345-4182. 7h/22h. Aberto em 2011.

 

  • 2º Lugar – Los Baristas

    Vitor Ávila e Heloísa Checheliski trocaram a produção audiovisual pelo trabalho de baristas. O casal faz desde a torra dos grãos ao preparo final das bebidas. A carta inclui sugestões como o expresso curto (R$ 6,00, 25 mililitros) e também um drinque gelado, à base de um café extraído a frio, o coldbrew, mais gim, água tônica e angustura (R$ 20,90). Embora enfatize as bebidas, a casa dispõe de um enxuto menu de comidinhas. O bolo de milho (R$ 5,00) desponta como o mais pedido.

    Continua após a publicidade

    404 Norte, bloco C, loja 38, (61) 3033-6183 (32 lugares). 12h/20h (sáb. 10h/19h; fecha dom.). Aberto em 2015.

     

    3º Lugar – Clandestino

    Inspirados nas cafeterias dinamarquesas e no conto Felicidade Clandestina, de Clarice Lispector, os sócios montaram um local voltado para quem busca cafés especiais e música de qualidade. Os grãos variam de acordo com os microlotes, a exemplo do blend icatu e obatã (R$ 6,50 o expresso). Para comer, há biscoito de tapioca (R$ 5,00 a porção com seis unidades) e bolo de coco gelado (R$ 5,50).

    413 Norte, bloco D, loja 23, (61)  3340-4919 (45 lugares). 14h/21h (dom. 9h/15h; fecha ter.). Aberto em 2015.

    Continua após a publicidade
    Publicidade