Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Emily Blunt defende que mulheres sejam melhores com elas mesmas

Na premiere de 'A Garota do Trem', a atriz que vive o papel principal critica a forma como a sociedade condena as escolhas femininas

Por Da redação Atualizado em 22 set 2016, 09h45 - Publicado em 21 set 2016, 17h20

A atriz Emily Blunt, que dará vida à protagonista de A Garota no Trem, pediu maior compaixão das pessoas com a escolha das mulheres de ter, ou não, uma família. “Eu acredito que todos nós precisamos ser mais empáticos uns com os outros, seja você homem ou mulher”, disse ela na estreia mundial do longa, adaptado da obra de Paula Hawkins, em Londres.

“Existe uma tendência entre as mulheres de julgarem um pouco umas às outras, principalmente quanto ao ambiente doméstico. Se você é capaz de ‘segurar um homem’ — uma frase que eu odeio — se deve amamentar, se quer ter filhos ou não, no caso de você poder ter filhos”, continua ela. “As mulheres às vezes se sentem na defensiva quanto às suas ações, e eu não acho isso certo. Ninguém sabe os altos e baixos das decisões dos outros e não podemos ser muito duros com elas.”

LEIA TAMBÉM
Adaptação do best-seller ‘A Garota no Trem’ ganha 1° trailer
Atriz de ‘Missão Impossível’ vai atuar em ‘A Garota no Trem’

No filme, Blunt interpreta Rachel, uma mulher recém-divorciada, desempregada e alcoólatra. Segundo ela, o papel chamou sua atenção por ser tão repugnante. “As mulheres sempre precisam ser o ideal de algum esteriótipo: bonitas, divertidas ou amáveis. Mas com a Rachel você apenas sente que não quer respirar o mesmo ar que ela. Ela é o tipo de pessoa tóxica, mental e fisicamente, que eu nunca tinha explorado antes”, conta ela.

A Garota no Trem segue a história de três mulheres, que se cruzam: Rachel, a personagem de Blunt; Anna, amante e agora esposa de Tom, ex-marido da protagonista; e Megan, a vizinha do casal cuja vida é observada (e idealizada) por Rachel todos os dias no trajeto de trem para o centro da cidade. O longa está previsto para estrear no Brasil em 13 de outubro.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)