Clique e assine a partir de 9,90/mês

Dolly Parton faz doação polpuda de US$ 1 mi para vacina contra coronavírus

A estrela da música country anunciou também que vai criar um programa no YouTube para contar histórias de ninar para crianças entendiadas na quarentena

Por Eduardo F. Filho - Atualizado em 2 abr 2020, 11h52 - Publicado em 2 abr 2020, 11h45

Um dos maiores nomes da música country, Dolly Parton anunciou nesta quinta-feira, 2, por meio de suas redes sociais, que vai doar 1 milhão de dólares – cerca de 5 milhões de reais – ao Instituto Vanderbilt de Infecção, Imunologia e Inflamação, ligado à Universidade Vanderbilt em Nashville, Tennessee. A doação polpuda de Dolly tem por objetivo financiar pesquisas avançadas da instituição para uma vacina contra o coronavírus.

Meu amigo de longa data, Dr. Naji Abumrad, que está envolvido em pesquisas na Vanderbilt há muitos anos, me informou que estavam fazendo alguns avanços empolgantes em relação à pesquisa para a cura do coronavírus. Estou fazendo uma doação de 1 milhão de dólares para a Vanderbilt para essas pesquisas e com o intuito de incentivar as pessoas que podem pagar a fazer doações”, escreveu Dolly. 

A cantora e o doutor Naji se conheceram em 2014, após Dolly ter se envolvido em um grave acidente de carro e precisar dos cuidados do médico no mesmo hospital. Hoje, ambos são grandes amigos.

O hospital em Nashville, felizmente, não é o único que está correndo contra o tempo em busca da vacina para o vírus que já infectou mais de 6,8 mil pessoas apenas no Brasil. A Organização Mundial da Saúde listou pelo menos outras 52 empresas e instituições ao redor do mundo que estão desenvolvendo possíveis vacinas contra a doença.

Além de doar a quantia milionária, Dolly paralelamente está ajudando em outra frente contra o coronavírus. Nesta quinta-feira, ela lança em seu canal no Youtube o programa Goodnight With Dolly (“Boa noite com Dolly”, em tradução livre), em que contará uma série de histórias de dormir para crianças que se sentem entediadas durante a quarentena. Segundo ela, os contos são “uma distração bem-vinda durante um período de agitação e inspira o amor pela leitura e livros”. Vale lembrar que a cantora tem, há alguns anos, uma instituição de caridade que se propõe a incentivar a leitura aos mais novos, e já doou mais de 130 milhões de livros para crianças.

Continua após a publicidade
Publicidade