Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Diretor de ‘Notting Hill’ lança comédia sobre roubo real de quadro de Goya

Baseado em caso de taxista excêntrico que furtou a obra da National Gallery de Londres nos anos 1960, longa estreou no Festival de Veneza nesta sexta-feira

Por Lucas Almeida, de Veneza Atualizado em 5 set 2020, 14h14 - Publicado em 4 set 2020, 14h43

Roger Michell, o diretor que teve a carreira marcada por Um Lugar Chamado Notting Hill (1999), compareceu ao Festival Internacional de Cinema de Veneza nesta sexta-feira, 4, para lançar sua nova comédia.

The Duke retrata a história real de Kempton Bunton, taxista de 60 anos que roubou o retrato do Duque de Wellington, obra de Francisco Goya, em 1961. O homem passou a mandar cartas afirmando que devolveria o quadro, se o governo britânico investisse mais verba no cuidado de idosos.

“De certa forma, é a história de Robin Hood”, afirmou o cineasta durante uma coletiva de imprensa na tarde desta sexta-feira 4. “Ele era um homem da classe trabalhadora que se ergueu e falou contra os que estavam no poder”.

O protagonista, vivido pelo ator Jim Broadbent, dá o tom de comédia para o filme pelo jeito excêntrico. Kempton pulava entre empregos, sendo constantemente demitido, pela falta de atenção no trabalho. O britânico destinou grande parte do seu tempo a uma causa um tanto curiosa: o fim da taxa que até hoje é cobrada pelo governo inglês de todos so cidadãos que têm um aparelho de TV em casa.

ASSINE VEJA

Os riscos do auxílio emergencial Na edição da semana: a importância das reformas para a saúde da economia. E mais: os segredos da advogada que conviveu com Queiroz
Clique e Assine

“É um tanto arriscado falar sobre Kempton, porque ele cometeu algo ilegal”, comentou Broadbent. “Ele é um protagonista incomum para sua idade e se tornou um personagem muito divertido de interpretar.”

A estreia do filme na 77° edição do Festival de Veneza acontece sem a presença de Helen Mirren. A atriz interpreta a esposa do protagonista, e é uma figura que tenta manter a ordem na casa mesmo com a bagunça provocada pelo marido. O elenco ainda conta ainda com o excelente Fionn Whitehead (Dunkirk e Black Mirror: Bandersnatch), como o filho do casal.

O caso do taxista marcou o primeiro (e único, até hoje) roubo da National Gallery de Londres. A ideia do longa surgiu da própria família de Kempton, que cedeu fotos, documentos e coleções de reportagens para a equipe de produção.

“Mesmo na Inglaterra, muitas pessoas não conhecem essa história. Mas essa celebração da identidade de indivíduos excêntricos faz parte da cultura britânica até hoje”, comentou o diretor Roger Michell.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês