Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Difícil dizer o que vai pior no ‘SuperStar’: bandas ou jurados

Com júri se repetindo e grupos longe de empolgar, episódio deste domingo recebeu críticas de músicos no Twitter

Por Daniel Dieb 1 jun 2015, 15h41

No terceiro e último episódio da fase “Superpasse”, quando as bandas apadrinhadas por um mesmo jurado se enfrentam em um mata-mata, a monotonia tomou conta do SuperStar, o reality show de bandas da Globo. Se os jurados pareciam se repetir com comentários semelhantes aos de outros domingos, as bandas pecavam na falta de qualidade, tanto que músicos como Tico Santa Cruz, vocalista do Detonautas, e Leo Jaime, do hit Gatinha Manhosa, usaram o Twitter para criticar os participantes da noite passada.

LEIA TAMBÉM:

Marido dá banho em Sandy como jurado ‘virtual’ do ‘SuperStar’

‘SuperStar’: Até filho de Sandy prefere Paulo Ricardo

Continua após a publicidade

O grupo Consciência Tranquila, por exemplo, que precisou ser salvo pelo jurado Thiaguinho, com o poder de escolher um entre os três menos votados pelo público para continuar no reality show, foi alvo tanto de Leo Jaime como de Tico Santa Cruz. Segundo o cantor, o vocalista e o coro da banda não “ornavam” com a música. Para o líder dos Detonautas, eles “não somaram muito ao programa”.

Thiaguinho, que parece ter ainda menos repertório de jurado do que Sandy, repisou um de seus fracos argumentos ao falar do grupo Dois Africanos. Para o pagodeiro, “a intenção do artista é emocionar as pessoas”, coisa que Dois Africanos, com a autoral Djuba, cantada em português e em ioruba, língua falada em boa parte da Nigéria, país dos cantores, conseguiu fazer. A banda teve 84% de aprovação dos espectadores, a segunda melhor votação da noite.

O concorrente mais votado, com 86%, foi a dupla Lucas e Orelha, que apresentou uma versão da música Cobertor, feita por Anitta em parceria com o rapper Projota. A mescla de pop e rap recebeu elogios tanto dos jurados “reais”, quanto dos “virtuais”. “Cantam muito bem, são afinados”, escreveu Tico Santa Cruz. Já Sandy focou mais uma vez na questão vocal: “Cantam muito bem!”, disse ela.

O Grupo Zueira mesclou Mais que Nada, de Jorge Ben, com This Love, do Maroon 5. Com canções já conhecidas, os 83% de votos do público vieram fácil. O funk americano foi representado pela banda Serial Funkers, que tocou a música autoral Coisa Assim e conseguiu 78% de votos. Com 2% a menos, a grupo de reggae Vibrações pegou a quinta posição da noite com apresentou a autoral Bom Amigo, cujo arranjo foi criticado por Leo Jaime, ao dizer que “não é grandes coisas”.

Na semana que vem, dia 7, começa o “Superfiltro”, nova fase do programa, em que nove bandas se apresentam por domingo, três de cada jurado do SuperStar. Desta vez, Thiaguinho, Sandy e Paulo Ricardo não poderão salvar ninguém, e as três piores bandas de acordo com avaliação do público serão eliminadas.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês