Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Denzel Washington: ‘O streaming aumentou as oportunidades para negros’

Ator veterano fala a VEJA sobre protagonismo em 'A Tragédia de Macbeth', filme da plataforma Apple TV+, e as mudanças na indústria cinematográfica

Por Raquel Carneiro Atualizado em 12 jan 2022, 16h54 - Publicado em 12 jan 2022, 13h37

Fã confesso do teatro feito pelo dramaturgo August Wilson (1945-2005), Denzel Washington, 67 anos, curiosamente nunca tinha visto uma montagem de Macbeth, peça incontornável de William Shakespeare (1564-1616). Agora elogiadíssimo por sua atuação em A Tragédia de Macbeth, o ator vê semelhanças entre os dois dramaturgos. “Há quem diga que Wilson é o Shakespeare americano”, disse o ator a VEJA. Prático, Denzel não divaga sobre as idiossincrasias humanas comuns aos personagens dos dois dramaturgos, mas prefere destacar seu instrumento de trabalho: o roteiro. “Há uma musicalidade no texto de ambos. Sinto que estou cantando quando interpreto as peças dos dois”.

De fato, Denzel traz a força e o ritmo de um rapper para o filme que chega nesta sexta-feira, 14, à plataforma de streaming Apple TV+. Ele conta que aceitou o papel e se embrenhou no texto da peça pela chance de trabalhar com “três gigantes” – no caso, Shakespeare, o diretor Joel Coen e a atriz Frances McDormand, que encarna Lady Macbeth. “Era toda razão que eu precisava para fazer este filme”, diz ele, que interpreta o protagonista, um general tomado pela ganância e pela cobiça, a ponto de matar o rei para conquistar o trono.

A raridade de se ter um protagonista negro em um filme shakespeariano, com um elenco “colorblind”, ou seja, no qual os traços e cores dos atores não importam, é atribuída por Denzel a uma evolução da indústria sob a liderança das plataformas de streaming. “Sei que estou em uma posição muito diferente e privilegiada, mas vejo que o streaming aumentou as oportunidades para negros.” Além de A Tragédia de Macbeth, com a Apple TV+, o ator produziu A Voz Suprema do Blues (2020) para a Netflix, e tem o sonho de adaptar dez peças de August Wilson também para o streaming.

Com um cenário e clima teatral, a adaptação da peça de Shakespeare foi gravada em 2020, em plena pandemia. O ritmo de filmagens afetado pelo período, com pausas e equipes enxutas, permitiu ao grupo o luxo de poder ensaiar por um mês inteiro. Algo essencial para o desenvolvimento do roteiro, que primou pelo texto original do bardo. “Joel me deixou muito à vontade. Ele me avisou que criaria um cenário sem muita mobília ou ostentação típica de palácios. O cenário minimalista ajudou a expor esses personagens. Eles não tinham onde se esconder”, conta.

Em uma atuação primorosa, Denzel deve conquistar sua nona indicação ao Oscar pelo papel este ano – ele soma duas vitórias na premiação, uma por Tempo de Glória (1989) e Dia de Treinamento (2001). Ao ser questionado se já foi tomado pela ganância e ambição de um Macbeth, ele brinca: “Com certeza, mas nunca vou admitir isso (risos). Nos Estados Unidos somos treinados para vencer sempre, o que gera muita frustração.” No auge há quatro décadas no cinema, o ator deve carregar pouco esse sentimento.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês