Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Demi Lovato não se decide entre a postura sensual e o pop autoajuda em show

Cantora americana esteve em São Paulo na noite desta sexta-feira. Ela segue para Belo Horizonte e retorna à capital paulista para encerrar a turnê brasileira

Por Raissa Pascoal 21 abr 2012, 08h12

Para completar o time de estrelas da Disney que vieram a São Paulo desde 2010, a cantora Demi Lovato se apresentou no Credicard Hall, na noite desta sexta-feira. Ao contrário da imagem de boa moça difundida por sua melhor amiga, a cantora Selena Gomez, e de seus colegas de emissora, o trio Jonas Brothers, Demi ainda não se decidiu se deixa o passado para trás e se assume de vez o estilo sensual, menos indicado para a faixa etária predominante em seu show, ou se continua apenas investindo em canções sobre superação.

Sua apresentação na capital paulista começou com 45 minutos de atrasos e alguns fãs já irritados com a demora. A música All Night Long deu início ao show, que durou cerca de uma hora e meia. Durante esse tempo, foram apresentadas 18 músicas, entre elas os hits Skyscraper, Don’t Forget e Give Your Heart a Break, e dois covers: How to Love, de Lil Wayne, e Moves Like Jagger, de Maroon 5, este a pedido do público.

Em meio a suas jogadas de cabelo e danças com os músicos, a cantora aproveitou algumas pausas para dedicar músicas e dividir seus problemas. “Há alguns anos, eu passei por uma situação muito difícil e tive o apoio de vocês. Obrigada! Não importa o que aconteça, eu estarei lá para vocês também”, disse, referindo-se sua internação na clínica de reabilitação, que a fez cancelar sua turnê pelo Brasil 2010. No entanto, o público pareceu mais interessado em pedir para que ela cantasse sucessos do que em qualquer parte de seu depoimento.

Demi Lovato segue para Belo Horizonte, onde se apresenta neste domingo e, depois, retorna à capital paulista para encerrar sua turnê pelo Brasil.

Demi Lovato, durante show em São Paulo, em 20 de abril de 2012
Demi Lovato, durante show em São Paulo, em 20 de abril de 2012 VEJA
Continua após a publicidade
Publicidade