Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

De Agatha Christie a P.D. James: confira 5 livros de crimes natalinos

A celebração é conhecida pelo espírito de amor e união, mas alguns autores usaram a data - e muito bem - para contar histórias de morte e vingança

Por Amanda Capuano Atualizado em 8 jan 2021, 19h29 - Publicado em 23 dez 2020, 18h32

Decorações deslumbrantes, família reunida, uma atmosfera de união e fraternidade: o clima natalino costuma embalar histórias que têm como mote romances, superação, resolução de conflitos e a magia do dito “espírito de Natal”.Mas não se engane: a data também inspirou um pródiga, e excelente, vertente literária: os romances sobre crimes ambientados no Natal. Em algum momento de suas vidas, autores como Agatha Christie e PD James olharam para a reunião familiar e não pensaram em peru ou confraternização – mas assassinatos. E não é que realmente funciona? Confira 5 obras que transformaram o clima natalino em sangue e muito mistério.

A Ceia dos Acusados, Dashiel Hammet

Livro A Ceia dos Acusados
Livro A Ceia dos Acusados Reprodção/Reprodução

Publicado em 1934, o livro conta a história de Nick Charles, um ex-detetive que se aposentou depois que a esposa, Nora, ficou rica. Os detetive vive de festa em festa e passa os dias entre a cama e a bebedeira. até que um caso chama sua atenção: o assassinato da assistente (e ex-amante) de Clyde Wynant, um inventor no mínimo original (leia-se meio louco). Wynant é tido como principal suspeito do crime e implora a Charles que prove sua inocência. Em meio a uma Nova York natalina, o detetive e a mulher resolvem convidar todos os suspeitos para um jantar, a fim de descobrir pistas sobre o caso. A noite se desenrola em um clima de suspeitas, tudo envolto na relação divertida e cômica do casal. A história fez tanto sucesso que acabou dando origem a seis longas no cinema.

O Natal de Poirot, Agatha Christie

O Natal de Poirot
O Natal de Poirot Reprodução/Reprodução

Imagine o melhor do suspense de Agatha Christie combinado ao imenso potencial de intrigas familiares que as festas de fim de ano despertam – se você gostou da ideia, saiba que a autora colocou uma trama assim no papel. Em O Natal de Poirot, Simeon, o patriarca da família Lee, convida os filhos para comemorar a data na luxuosa mansão do clã e reatar os laços familiares. A real intenção do ricaço, porém, é se divertir com a ganância da prole, sempre mesquinha e mimada. Para incendiar a festa, ele anuncia que fará alterações em seu testamento, e os fatos que se desenrolam a partir daí desembocam em assassinato: o patriarca é encontrado degolado em seu quarto, com a porta trancada por dentro. Em meio à tragédia natalina, Hercule Poirot, o famoso e brilhante detetive criado por Agatha, oferece ajuda para solucionar o caso e se depara com um atmosfera de suspeitas e acusações mútuas entre os herdeiros. Se você identificou paralelos com o filme Entre Facas e Segredos, saiba que a familiaridade não é coincidência: o diretor e roteirista Rian Johnson é fã da autora e se inspirou abertamente na obra da inglesa para levar o mistério para as telas.

Os Homens que Não Amavam as Mulheres, Stieg Larsson

Os Homens que Não Amavam as Mulheres, primeiro livro da série Millenium
Os Homens que Não Amavam as Mulheres, primeiro livro da série Millenium Reprodução/Reprodução
Continua após a publicidade

O sucesso do sueco Stieg Larsson não é exatamente uma obra natalina, mas toda a sequência-clímax no final do livro se passa na celebração. A história gira em torno do desaparecimento da herdeira da família Vanger, um clã proeminente da região, que desaparece sem deixar vestígios. Depois do sumiço, Henrik Vanger, o chefe da família, recebe todo ano, na mesma data, uma flor em uma moldura, o mesmo presente deixado pela jovem antes de desaparecer. Ele tem certeza de que a herdeira foi morta por alguém da família e, passados 40 anos, pede que o jornalista Mikael Blomkvist investigue os fatos que envolveram o crime em troca de apoio financeiro para a sua revista, a Millennium, que está a um passo de fechar as portas. Em 2011, David Fincher levou a trama para o cinema, protagonizada por Rooney Mara e  Daniel Craig.

The Mistletoe Murder and Other Stories, P.D. James

The Mistletoe Murder
The Mistletoe Murder Reprodução/Reprodução

Tida por muitos como “rainha do crime”, P.D James era sempre requisitada para que fizesse uma obra natalina. Nessa coleção, infelizmente não disponível em português, quatro contos  da autora se unem por ter o Natal como pano de fundo. Na história do título, uma escritora de suspenses criminais em idade avançada relembra os tempos da juventude, quando ela se viu em meio a um assassinato durante as festas de fim de ano na casa da avó. O clima macabro, marca registrada de James, permeia todo o livro, mas também há espaço para relações ditas fraternais, se é que se pode chamá-las assim.

The Ice Harvest, Scott Phillips

Capa da coletânea The Ice Harvest
Capa da coletânea The Ice Harvest Reprodução/Reprodução

Uma tempestade de gelo faz com que a cidade de Wichita fique isolada em plena noite de Natal, em 1979. Pouco antes, o advogado Charlie Arglist e seu sócio deram um golpe no chefe e abocanharam uma bufunfa milionária. Apaixonado pela gerente de uma boate de striptease, Charlie planeja fugir da cidade com a amada e o dinheiro, mas a tempestade interrompe seus planos. Publicada originalmente em 2000, a história foi adaptada para os cinemas em 2005 por Harold Ramis. No Brasil, recebeu o título de A Sangue Frio.

VEJA RECOMENDA | Conheça a lista dos livros mais vendidos da revista e nossas indicações especiais para você.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)