Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Cunhada de Ana Hickmann já tinha visto fã em restaurante

Giovana Oliveira, que foi baleada por Rodrigo de Pádua, contou no 'Hoje em Dia' que ele olhava para ela de um jeito 'estranho' antes do atentado

Por Da Redação 7 jun 2016, 17h04

A cunhada de Ana Hickmann, Giovana Oliveira, contou nesta terça-feira, durante participação no Hoje em Dia, programa que tem a ex-modelo como uma de suas apresentadoras, que já tinha visto o fã que fez a ela, o marido e a Ana Hicmann de reféns, em Belo Horizonte, no restaurante do hotel. Giovana, que levou dois tiros de Rodrigo Augusto de Pádua e precisou ser internada por treze dias, relembrou os momentos de pânico pelos quais os três passaram naquele dia.

Ela conta que eles haviam se instalado em um hotel na capital mineira, onde a ex-modelo lançaria uma linha de roupas, e que seu marido, Gustavo Corrêa, havia descido para o restaurante, onde Rodrigo a observaria. “Fui encontrar com ele para pegar a chave do quarto (…) e, nesse momento, vi que tinha uma pessoa que olhava muito estranho para mim”, disse.

Leia também:

Cunhada de Ana Hickmann recebe alta e sai de hospital

Especialistas alertam: a próxima Ana Hickmann pode ser você

Ana Hickmann é recebida com surpresa e chora na volta à TV

Continua após a publicidade

Ouça a conversa entre Ana Hickmann e fã que a atacou

Depois do almoço, Gustavo levava duas malas com materiais para o evento até uma funcionária, que as entregaria no local do lançamento, quando foi rendido por Rodrigo. “Quando Guto entrou no quarto, ele disse: ‘Meninas, calma que a gente está com um problema’ e logo atrás dele entrou a pessoa armada e eu o reconheci do restaurante. Na hora, a impressão que a gente tinha é de que era um assalto”, disse. “Essa cena, do Guto entrando com uma pessoa armada, é uma das coisas que mais ficam na minha cabeça. Eu nunca tinha visto uma pessoa armada.”

Giovana afirma que Rodrigo disse que aquilo não se tratava de um assalto e que tinha “contas a acertar com a Ana”. Em determinado momento, ele mostrou seu celular ao trio e eles viram que ele tinha um perfil em uma rede social inteiramente devotado à apresentadora. “Me assustou muito quando peguei o celular dele e vi que era um perfil totalmente dedicado a Ana, com mensagens de amor e mensagens pornográficas. Aí, a gente foi se dando conta um pouco de que não estávamos com um assaltante e nem com uma pessoa normal.”

Muito abalada, Ana desmaiou e caiu nos braços de Giovana. Nesse momento, Rodrigo atirou, acertando a cunhada da apresentadora. Gustavo reagiu e entrou em luta corporal com o rapaz, avisando as duas para correrem do quarto. Gustavo atirou em Rodrigo, que morreu no local. Giovana não conseguiu fugir e depois foi amparada por Júlio Figueiredo, cabeleireiro que havia sido contratado para cuidar do visual de Ana no dia e que gravou toda a conversa entre Rodrigo e o trio de reféns, do lado de fora do quarto. Júlio a ajudou a sair do hotel e a levou de táxi para um hospital, onde Giovana foi atendida.

Agora, ela está em casa e caminha com o auxílio de uma bengala. “Tenho que fazer fisioterapia duas vezes por dia para voltar a caminhar normalmente. Todos os médicos e fisioterapeutas estão confiantes de que vou voltar a andar sem problema nenhum”, disse. “Ainda estou com os pontos e, provavelmente, tiro essa semana. Aí, ficarei tranquila. Hoje, depois de todos os médicos, todos os enfermeiros, de Belo Horizonte e São Paulo, todos, quando leem meu prontuário, falam: ‘Você nasceu de novo!’.”

(Da redação)

Continua após a publicidade

Publicidade