Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Courtney Love distribui impropérios no SWU

Por Rodrigo Levino 13 nov 2011, 23h19

Como era esperado, o mais curioso do show da banda Hole no festival SWU Music & Arts, liderada por Courtney Love, viúva de Kurt Cobain (Nirvana), foi o espaço entre as músicas. Sem nenhum freio na língua, Love comandou uma espécie de stand up comedy decadente, em que distribuiu impropérios para todos os lados, no show que fez no palco New Stage.

Ao longo de uma hora, a cantora xingou a plateia; deixou os seios à mostra; vestiu uma camiseta de um fã, onde se lia “Courtney Love, seja minha cachorra”. E teve mais: xingou o Metallica; ameaçou tirar da plateia um fã que segurava uma foto de Kurt Cobain; xingou Billy Corgan, líder do Smashing Pumpkins, a quem acusou de roubar o trecho de uma carta que teria enviado a ele e feito disso a letra de Disarm, faixa do disco Siamese Dream.

Próximo ao fim do show, pediu que os fãs gritassem que a banda Foo Fighters é gay. A banda tem no comando o ex-baterista do Nirvana, Dave Grhol. Ela ainda acusou Grhol de roubar o espólio de Cobain e, segundo ela, dinheiro que deveria ser destinado até hoje a Frances Bean, sua filha com o vocalista morto em 1994.

De música, bem, sobrou pouca coisa relevante para ser comentada além da falta de voz (desafinada) de Courtney. Além de sucessos como Malibu e Skinny Little Bitch, a vocalista cantou versões toscas de Sympathy For The Devil, dos Rolling Stones, Bad Romance de Lady Gaga e encerrou o show com The Fly, do U2. Para efeito de comparação, foi como se Charlie Sheen se apresentasse com uma banda de rock. Ou seja, tudo dentro do esperado e prova de que Courtney continua completamente louca.

Continua após a publicidade
Publicidade