Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Coronavírus: ‘Velozes e Furiosos 9’ e filme de caso Richthofen são adiados

Juntamente com 'Um Lugar Silencioso 2', longas engrossam lista de estreias adiadas por pandemia

Por Redação Atualizado em 12 mar 2020, 16h40 - Publicado em 12 mar 2020, 16h23

Depois do adiamento de 007: Sem Tempo para Morrer, por causa da pandemia de coronavírus, a Universal Studios anunciou nesta quinta-feira, 12, que Velozes e Furiosos 9, marcado para estrear no dia 22 de maio, chegará aos cinemas nos Estados Unidos em 2 de abril de 2021. O terror Um Lugar Silencioso – Parte II também foi adiado, por tempo indeterminado, e a dupla de filmes sobre o caso de Suzane Von Richthofen, A Menina Que Matou os Pais e O Menino que Matou Meus Pais, é a primeira produção nacional a engrossar a lista de adiamentos — e não foi divulgada uma nova data de estreia. 

“Nós sentimos todo o amor e expectativa de vocês pelo próximo capítulo da saga de Velozes e Furiosos. Por isso, é extremamente difícil informá-los que foi necessário mudar a data de estreia do filme. Ficou claro que não seria possível para muitos de nossos fãs ao redor do mundo assistir ao longa em maio deste ano”, informou a produção da saga por meio das redes sociais. “Embora saibamos que há decepção por ter que esperar um pouco mais, essa mudança é feita com a segurança de todos como nossa principal consideração. O adiamento permite que toda a comunidade de fãs confira o nosso próximo capítulo juntos.”

Com mais de 125 000 casos e quase 5 000 vítimas fatais, o surto de coronavírus tem causado preocupação e medidas extremas no showbiz. Para conter a epidemia, normas rígidas de segurança vêm sendo estabelecidas nos países afetados – entre elas, evitar aglomerações e viagens a locais de risco.

Epicentro do surto, a China fechou as portas de cerca de 70 000 salas de cinema, forçando o adiamento da estreia de diversas superproduções no país. Entre elas, a versão live action de mais uma animação da Disney, Mulan, aguardada com ansiedade pela população por ser uma história ambientada no país.

O longa corre ainda o risco de ter a sua estreia mundial, prevista para 26 de março, cancelada pela epidemia – destino que já atingiu 007: Sem Tempo para Morrer. Anteriormente confirmado para o início de abril, o último filme de Daniel Craig na pele do agente James Bond foi reagendado para novembro. A sequência de Missão Impossível, com locações no país, teve a produção interrompida, assim como o filme Red Notice, da Netflix. Segundo o Hollywood Reporter, entre bilheteria e produção, a perda para a indústria cinematográfica pode bater a casa dos 7 bilhões de dólares.

Continua após a publicidade
Publicidade