Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Contra homofobia, aluno do ITA usa vestido e salto em colação

Talles de Oliveira Faria escreveu um longo texto no Facebook em que explica que usou a roupa para protestar contra o preconceito na instituição

Por Da redação 20 dez 2016, 18h06

Um vídeo que vem circulando nas redes sociais nos últimos dias chamou a atenção por mostrar um rapaz usando vestido vermelho e sapatos de salto alto durante a colação de grau do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) no último sábado. Em seu perfil no Facebook, o aluno em questão, Talles de Oliveira Faria, explica que usou a roupa para protestar contra a homofobia na instituição.

Talles afirma que desde criança ouvia falar sobre as qualidades do ITA e que ingressar na universidade era seu grande sonho. “Mal sabia que seria a maior decepção de minha vida”, escreveu. O estudante conta que, durante a adolescência, estudou em uma escola militar, a Escola Preparatória de Cadetes do Ar (Epcar), e que sentia medo de que descobrissem sobre sua orientação sexual e o expulsassem. “Seria uma grande tragédia, já que na época sentia vergonha por ser LGBT.”

  • Talles diz que os homossexuais que integram as Forças Armadas levam uma vida marginalizada e as invisíveis na instituição. “Cheguei no ITA e decidi que para mim bastava. Aceitem-me como sou ou sejam expostos pelo que vocês são. Não me aceitaram, violentaram-me, riram de mim, tentaram me tornar invisível. Que a exposição os mudem porque eu vou continuar me amando e me fazendo muito presente mundo afora”, afirma.

    No texto, o estudante relata episódios de homofobia que viveu ou presenciou no ITA e na Aeronáutica. “Faziam piadas com os estudantes mais efeminados. Ser efeminado é ser viado e ser viado é ser piada. Ninguém quer ser piada, ninguém quer ser LBGT”, diz. “Todos os meus amigos LGBTs morriam de medo que alguém os descobrisse e os desligasse. (…) Quando descobriram que dois amigos meus estavam namorando na Epcar, tiraram um deles do Código de Honra e começaram a perseguir o outro com punições.”

    “Quando os alunos LGBTs foram descobertos, os discursos de ódio saíram do armário. Amigos se afastaram, viraram as costas. Esse sentimento é terrível, perder alguém que você se importa e que você achava que se importava com você por causa de sua orientação sexual”, afirma. “Quando homossexuais assumidos ousaram ir para a AFA, foram perseguidos por cadetes escolhidos para serem ‘Líderes’. Ouviram ‘eu sei que você é viado e vou fazer você pedir desligamento’.”

    Talles termina o texto afirmando estar cansado da violência que a população LGBT sofre. “Estou farto das piadas, estou farto da invisibilidade, da violência, de tudo.”

    Continua após a publicidade
    Publicidade