Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Conrad Murray apela à Justiça para reduzir indenização

Médico quer provar que vício em analgésicos causou morte de Michael Jackson e, assim, pagar só metade dos US$ 100 mi exigidos pela família do cantor

Por Da Redação 10 jan 2012, 09h14

Conrad Murray entrou com pedido na Justiça de revisão da indenização de 100 milhões de dólares exigida pela família de Michael Jackson. O médico foi condenado por homicídio culposo, em que não há intenção de matar, pela morte do cantor. Murray administrou uma alta dose do analgésico propofol no corpo do astro sem o devido monitoramento dos sinais vitais. O rei pop morreu em sua casa, em Los Angeles, no dia 25 de junho de 2009.

Segundo o site americano TMZ, Murray pediu uma nova audiência nesta segunda. O médico irá exigir a apresentação de evidências que provem a participação de Michael Jackson em sua própria morte, já que o cantor era viciado em analgésicos e remédios para dormir.

O juiz, porém, ainda não acatou oficialmente o pedido da acusação em estabelecer a indenização em 100 milhões de dólares, valor referente ao que Michael Jackson teria faturado com a turnê This is It, para a qual ensaiava dias antes de morrer. Se ficar provado que Michael Jackson teve participação decisiva no acidente que causou sua morte, o valor será reduzido em 50%.

Publicidade