Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Chile marca data para exumação de Neruda: 8 de abril

Juiz determinou procedimento para esclarecer denúncia de envenenamento

Por Da Redação 13 mar 2013, 02h45

Os restos mortais do poeta chileno Pablo Neruda, prêmio Nobel de Literatura morto em 1973 em consequência de um câncer, serão exumados no dia 8 de abril para esclarecer uma denúncia de envenenamento, informou uma fonte judicial do país nesta terça-feira. “A exumação dos restos de Neruda ocorrerá em 8 de abril”, disse a fonte, que pediu para não ser identificada.

A exumação, ordenada por um juiz chileno em fevereiro, já era prevista para ocorrer no mês que vem, mas não havia ainda uma data definida para o procedimento. A investigação sobre a morte de Neruda foi aberta em 2011, após denúncia de homicídio apresentada pelo Partido Comunista do Chile, que tinha o poeta como membro. Os restos do escritor estão enterrados desde 1992 em sua casa em Isla Negra, litoral chileno, ao lado de sua mulher, Matilde Urrutia, um desejo do poeta.

Injeção – A denúncia foi registrada depois que o motorista de Neruda, Manuel Araya, declarou publicamente que o escritor havia sido envenenado com uma injeção dada por agentes da ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990) quando estava internado em uma clínica de Santiago para tratar de um câncer. Até então, a versão oficial indicava que a morte do poeta havia sido causada por um câncer de próstata de que sofria fazia anos. Neruda morreu 12 dias após o golpe de estado de 11 de setembro de 1973 que derrubou o presidente socialista Salvador Allende, seu amigo, e instalou a ditadura.

O autor de Vinte Poemas de Amor e uma Canção Desesperada morreu em 23 de setembro de 1973, doze dias após o golpe de Estado de Augusto Pinochet, em uma clínica privada de Santiago, e às vésperas de uma viagem que o levaria em exílio ao México. No mesmo hospital, morreu em 1982 o ex-presidente democrata-cristão Eduardo Frei Montalva.

Leia também:

Partido Comunista pede exumação do corpo de Neruda

(Com agência France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade