Clique e assine a partir de 9,90/mês

Chão Nativo é o melhor restaurante regional de Goiânia

Com atmosfera de fazenda, a casa do Setor Bueno serve há quase duas décadas um bufê repleto de delícias regionais

Por Camila Sayuri, Eula Lôbo, Geovane Gomes, Juliana Koch, Natália Ribeiro, Vinicius Tamamoto e Yuri Lopes - Atualizado em 28 out 2017, 13h13 - Publicado em 28 out 2017, 04h00

Distante 200 quilômetros da capital goiana, o município de Santa Helena de Goiás é a terra natal de Ione Ferreira Campos, fundadora deste restaurante. Na roça, ela aprendeu a cozinhar ainda criança, ajudando a mãe a preparar refeições para os funcionários da fazenda. E são justamente essas memórias da infância e da adolescência que inspiram a chef na seleção das receitas típicas servidas no bufê do restaurante localizado no Setor Bueno — apesar de ostentar o mesmo nome, a casa do Setor Oeste funciona sob outra administração. Diariamente, sobre o fogão a lenha, encontram-se alinhados cerca de quarenta pratos, entre eles galinhada, pequi e guariroba cozidos, costelinha suína frita, feijão-tropeiro, paçoca de pilão, frango caipira e empadão goiano. O preço fixo por pessoa (R$ 34,90 de segunda a sexta-feira e R$ 36,90 nos fins de semana) também dá direito a mais de vinte saladas, dispostas sobre um charmoso carro de boi de 1935, e às sobremesas, caso da ambrosia de ovo caipira e do pudim. No arremate, são oferecidos como cortesia cafezinho, licores de frutos do cerrado e cachaça oriunda de um engenho da cidade de Orizona (GO). Avenida T-11, 299, Setor Bueno, (62)3241-2266 (280 lugares). 11h/15h (sáb. e dom. 11h/15h30). Aberto em 1998. $

2º lugar: Restaurante Popular
Há mais de quarenta anos em funcionamento, o restaurante segue uma receita certeira: comida simples vendida a preços bastante domados. Quem está à frente da brigada é a cozinheira Lourdes Salomão Barreto, que coordena o preparo de pratos como arroz com frango e pequi, feijão-tropeiro, carne cozida, bife acebolado e outras receitas, alinhadas no bufê diariamente. O valor fixo de R$ 25,00 inclui ambrosia de sobremesa. Atualmente a casa passa por uma reforma de ampliação. Rua 72, 524, Centro, (62) 3224-6150 (50 lugares). 11h/15h (fecha dom.). Aberto em 1976. $

3º lugar: Mau Nenhum
Churrasqueira de tijolo, quinquilharias penduradas, bules de café antigos e móveis de madeira criam o ambiente de roça. O fogão a lenha mantém aquecidas cerca de 120 variedades de pratos quentes, como o frango caipira e o pirarucu, que pode ser assado ou frito. Na churrasqueira são assados diversos cortes, entre eles fraldinha, picanha e cupim. Os dois últimos também podem vir chapeados ao alho, e são um sucesso. O bufê é reforçado com mais de setenta tipos de salada. De segunda a sexta, o almoço sai por R$ 38,90 o quilo. Já aos fins de semana, o valor sobe para R$ 48,99. A ambrosia é a sobremesa mais procurada (R$ 48,99 o quilo). Rua T-36, esquina com a T-65, 3569, Setor Bueno, (62) 3255-0939 (500 lugares). 11h30/14h30 (sáb. e dom. até 15h). Aberto em 1991. $

Publicidade