Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Casa e estúdio de gravação de Prince serão transformados em museu

Grupos de até 30 pessoas poderão visitar a propriedade durante 70 minutos, por ingressos de 38,50 dólares

Por Da redação 25 ago 2016, 10h34

A casa e o estúdio de gravação de Prince serão transformados em museu a partir de 6 de outubro, de acordo com os planos revelados nesta quarta-feira pela Bremer Truste, entidade encarregada de controlar a herança do músico. Grupos de até 30 pessoas poderão visitar a propriedade, localizada em Chanhassen (Minnesota, EUA) durante 70 minutos, segundo o plano de negócio apresentado pela entidade à cidade, que deve dar o sinal verde à operação em uma audiência pública no dia 20 de setembro. O preço da entrada será de 38,50 dólares.

LEIA TAMBÉM:
Pílulas que causaram overdose de Prince tinham rótulos falsos

“As visitas guiadas levarão os espectadores através dos corredores de Paisley Park, incluindo o estúdio de gravação e mixagem onde Prince gravou, produziu e mixou a maioria de seus grandes sucessos”, diz o plano idealizado pela Bremer Truste. O percurso terá visita aos quartos de luxo onde Prince montava vídeos musicais e realizava ensaios para os shows. Além disso, será possível visitar a sala NPG (seu próprio clube privado).

Será possível ter contato com diversos objetos do arquivo pessoal do artista, como roupas usadas nos palcos, prêmios, instrumentos musicais, vídeos domésticos e gravações inéditas.

A empresa contratou a PP Management para operar o museu. Se trata de uma subsidiária da Graceland Holdings LLC, encarregada de controlar a antiga residência de Elvis Presley em Memphis. Atualmente, Paisley Park tem 90 vagas de estacionamento disponíveis, mas o plano de negócio prevê aumentar esse número para 140. Além disso, consta no projeto a construção de hotéis nas proximidades da residência para receber turistas.

Prince, figura indiscutível do pop, foi encontrado morto no elevador de sua residência em Paisley Park no último dia 21 de abril. Mais tarde, descobriu-se por meio de autópsia que o músico morreu de uma overdose acidental de opioides.

(Com agência EFE)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês