Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Cannes tem protesto feminista com sinalizadores e cartaz tocante

Grupo de 12 ativistas desenvolveu a ação durante a recepção de filme sobre assassinatos na indústria da prostituição

Por Amanda Capuano Atualizado em 22 Maio 2022, 19h17 - Publicado em 22 Maio 2022, 19h07

Um grupo de feministas tomou o tapete vermelho do Festival de Cannes nesse domingo, 22, para protestar contra o assassinato de mulheres na França. No total, 12 ativistas participaram da ação, que levou para o evento um cartaz com o nome de 129 mulheres mortas no país desde a última edição do festival, vítimas de violência doméstica.

O protesto aconteceu antes da abertura do filme Holy Spider, cujo enredo gira em torno do assassinato de mulheres ligadas à indústria da prostituição na cidade iraniana de Mashhad. Na trama do iraniano Ali Abbasi, uma jornalista investiga o assassinato em série de profissionais do sexo na região por um serial killer denominado de “assassino aranha”. A história é baseada no caso real de Saeed Hanaei, que matou pelo menos 16 mulheres com a justificativa de que estaria “purificando” a região de pecadoras.

Vestidas de preto, as ativistas, identificadas pela agência de notícias France-Press como integrantes do coletivo feminista Les Colleuses, chegaram ao local antes do elenco e da equipe do filme. Sem serem incomodadas pela segurança, as mulheres exibiram o cartaz com os nomes das vítimas, e dispararam sinalizadores com fumaça preta nas escadarias do Palais des Festival.

A ação acontece dias depois que outro protesto agitou a Riviera Francesa. Na sexta-feira, 20, uma ativista usou o tapete vermelho do festival para se manifestar contra o abuso sexual de mulheres ucranianas na guerra com a Rússia. A mulher apareceu seminua na recepção do filme Three Thousand Years of Longing, de George Miller, exibindo uma bandeira da Ucrânia pintada nos seios com os dizeres “parem de nos estuprar”, além de marcas de mãos em vermelho nas coxas e na virilha.

Confira imagens:

.
Membros do coletivo feminista “Les Colleuses” durante protesto em Cannes contra o assassinato de mulheres na França John Phillips/Getty Images
.
Mulheres estendendo cartaz com nomes de francesas mortas durante protesto no tapete vermelho de Cannes Andreas Rentz/Getty Images
.
Membros do coletivo feminista “Les Colleuses” durante protesto em Cannes contra o assassinato de mulheres na França Gisela Schober/Getty Images
Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)