Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Britney Spears acusa irmã de promover livro de memórias às suas custas

Após as brigas com o pai pelo fim da tutela, encerrada em novembro de 2021, a cantora agora trava barraco com Jamie Lynn, sua mana mais nova

Por Marcelo Canquerino Atualizado em 17 jan 2022, 17h49 - Publicado em 14 jan 2022, 15h53

Após a briga judicial pública com o pai para dar fim à tutela abusiva a que esteve submetida por anos, Britney Spears agora entrou num barraco com outro membro de sua família. Na noite desta quinta-feira, 13, ela veio a público para rebater as alegações recentes feitas por sua irmã mais nova, Jamie Lynn Spears. Durante entrevista ao Good Morning America na quarta-feira, 12, para promover seu novo livro de memórias, Things I Should Have Said, Jamie Lynn falou sobre um incidente no qual Britney, ao se sentir assustada, pegou uma faca e se trancou em um quarto com ela, além de ter descrito o comportamento da princesa do pop ao longo dos anos como “errático, paranoico e em espiral”.

+ Clique para comprar o livro Things I Should Have Said

A cantora mostrou-se incomodada e contestou as afirmações da irmã. “Jamie disse que meu comportamento estava fora de controle. Ela nunca esteve muito perto de mim por 15 anos, então por qual motivo está falando sobre isso, a menos que queira vender um livro às minhas custas?”, disse. “Ela nunca teve de trabalhar para nada, tudo sempre foi dado a ela”, acrescentou.

Jamie Lynn rebateu, questionando a veracidade das declarações de Britney em um texto publicado em seu Instagram, no qual afirma que a cantora não disse a verdade. Além disso, também alegou que sua família continua recebendo ameaças de morte, como suposto resultado das falas “vagas e acusatórias” da cantora nas redes sociais. “Torna-se exaustivo quando as conversas e os textos que temos em particular não correspondem ao que você publica nas redes sociais. Sei que você está passando por muita coisa e nunca quero diminuir isso, mas também não posso me diminuir”, escreveu Jamie Lynn.

Em novembro de 2021, Britney conseguiu pôr fim à tutela que a manteve praticamente refém do pai por 13 anos. Após se ver livre dele, a cantora disse acreditar que sua família “deveria estar toda na cadeia”, em decorrência do tratamento horrível que experimentou durante a conservadoria. Ao longo do processo judicial, Jamie Lynn Spears fez poucos comentários públicos a favor da liberdade da irmã, mas agora afirma que sempre esteve a seu lado. “Talvez eu não tenha apoiado Britney do jeito que o público gostaria que eu fizesse com a hashtag em uma plataforma nas redes, mas posso garantir que apoiei minha irmã muito antes de haver uma hashtag, e vou apoiá-la por muito tempo depois.”

*As vendas realizadas através dos links neste conteúdo podem render algum tipo de remuneração para a Editora Abril

 

 

Continua após a publicidade

Publicidade