Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

‘Bolsonaro é um desastre’, diz intérprete de Bruna Surfistinha na TV

A atriz Maria Bopp, de 28 anos, explica por que misturou tutorial de maquiagem e críticas ácidas ao presidente em vídeos que viralizaram nas redes sociais

Por Eduardo F. Filho Atualizado em 7 dez 2020, 11h03 - Publicado em 13 mar 2020, 06h00

Como surgiu sua personagem no Instagram, a Blogueirinha do Fim do Mundo, que faz vídeos que começam como inocentes tutoriais de maquiagem e, depois de alguns instantes, transformam-se em peças bastante críticas ao governo? Fiz um experimento cênico em que tinha de me debruçar sobre a peça Fim de Partida, de Samuel Beckett, que fala de personagens de uma realidade pessimista. Os diretores pediram que eu pensasse como seria o fim do mundo. E veio a ideia: como seria uma blogueira do fim do mundo? O segredo é a junção da ironia política com um tutorial de maquiagem. São coisas que normalmente não vêm juntas.

Em um dos vídeos, você diz que passa o pincel no rosto “como se passa o pano” para o governo do presidente Jair Bolsonaro. Por que ele se tornou seu alvo? Todos os indicadores falam por mim. Bolsonaro é um desastre. Só fala atrocidades, uma atrás da outra. Com tantos escândalos envolvendo o presidente, a família dele e os ministros, as pessoas perderam a capacidade de se indignar.

O que pensa das críticas de fãs do presidente? Alguns veem meus vídeos e pensam: “Olha o absurdo que essa menina está falando”. Mas esquecem que Bolsonaro disse aquilo que eu critico. Em vez de implicarem comigo, essas pessoas deveriam se indignar com ele. Vou ter material inesgotável para os próximos três anos — e espero que nenhum ano a mais.

Muitos se valeram do fato de que você viveu a prostituta Bruna Surfistinha na série Me Chama de Bruna (Fox Premium) para atacá-la. Isso a magoou? As pessoas podem ter suas posições. Mas usar o trabalho como Bruna Surfistinha para me desmoralizar e tentar me envergonhar é o fim. Tenho muito orgulho do papel. Ele me abriu portas na atuação. Olho para esses haters com o sentimento que eles merecem: desprezo.

Após criar a personagem, seus seguidores no Instagram mais que duplicaram (hoje, são 146 000). Imaginava esse resultado? Sempre me posicionei politicamente nas minhas redes sociais. Meus seguidores, acredito, concordam comigo. Mas não esperava a repercussão. Recebi mensagens de apoio de Dira Paes, Cissa Guimarães e da viúva da Marielle Franco, Monica Benicio.

Como seria o fim do mundo para você? Ter pessoas que defendem um presidente fascista é o início do fim do mundo para mim.

Leia também: Maria Bopp & o fim do mundo.

Publicado em VEJA de 18 de março de 2020, edição nº 2678

Continua após a publicidade

Publicidade