Clique e assine a partir de 9,90/mês

‘Birdman’ atropela ‘Boyhood’ e se consagra no Oscar

Cerimônia morna foi marcada por prêmios pulverizados e discursos com forte tom político. Já o apresentador Neil Patrick Harris deixou a desejar

Por Raquel Carneiro - 23 fev 2015, 03h27

Todo o esforço do diretor Richard Linklater, que passou doze anos filmando Boyhood: Da Infância à Juventude, não foi recompensado pela Academia de Hollywood, responsável pelo Oscar, que preferiu premiar outro longa tão bom e ousado quanto. Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância), assinado pelo mexicano Alejandro González Iñárritu, levou quatro estatuetas das nove indicações, entre elas as de melhor filme e diretor. O Grande Hotel Budapeste, de Wes Anderson, empatou com o longa de Iñárritu em número de prêmios, porém todos em categorias técnicas. Já Boyhood, que foi atropelado pelo herói alado em crise, levou para casa apenas uma estatueta, a de melhor atriz coadjuvante, para Patricia Arquette.

Passo a passo: Confira tudo o que aconteceu no Oscar 2015

Este foi o primeiro Oscar da carreira de Patricia, que aproveitou seu discurso para pedir por equidade salarial entre homens e mulheres em Hollywood. Sua fala foi aplaudida com fervor pelos presentes, especialmente por Meryl Streep, que rapidamente virou meme na internet por seu entusiasmo. O padrão de Patricia foi repetido nas demais categorias de atuação, que premiaram pela primeira vez os veteranos J.K. Simmons, como ator coadjuvante por Whiplash: Em Busca da Perfeição, e Julianne Moore, como atriz por Para Sempre Alice. O novato Eddie Redmayne, também saiu com uma estatueta da premiação por seu trabalho em Teoria de Tudo, em que dá vida ao físico Stephen Hawking. Redmayne aproveitou a oportunidade para falar sobre a doença Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA), com a qual Hawking convive, enquanto Julianne fez o mesmo sobre o Alzheimer, enfermidade de sua personagem no longa.

Leia também:

Oscar: kit de mimos dos indicados tem desde viagem à Toscana a um vibrador

O tom politizado também teve vez no discurso de agradecimento dos músicos John Legend e Common, que conquistaram o prêmio de melhor canção original para Glory, tema do filme Selma. A trama que acompanha a marcha liderada por Martin Luther King Jr. pelo direito de voto dos negros foi motivo de controvérsia antes da premiação, por ter sido esnobada em diversas categorias, entre elas de melhor ator para David Oyelowo, protagonista do filme. Legend e o rapper falaram sobre a condição dos negros nos Estados Unidos hoje em dia e do muito que ainda precisa ser percorrido pela igualdade de direitos.

Assim como Boyhood, O Jogo da Imitação e Sniper Americano se contentaram com apenas uma estatueta ao longo da cerimônia. O filme de guerra de Clint Eastwood levou o prêmio de edição de som. E a trama estrelada por Benedict Cumberbatch saiu vitoriosa da concorrida categoria de melhor roteiro adaptado.

O polonês Ida, que dividia o favoritismo com o russo Leviatã, foi consagrado na categoria de filme estrangeiro. Outro que superou um favorito foi Operação Big Hero, que levou a melhor na categoria de animação e deixou para trás o forte concorrente Como Treinar o Seu Dragão 2.

VOTE:

Quem deve demitir o estilista depois do Oscar 2015?

Quem arrasou no tapete vermelho do Oscar 2015?

Apesar das surpresas entre os vencedores e dos bons números musicais, entre eles um estrelado por Lady Gaga, que fez uma emotiva interpretação de canções de A Noviça Rebelde, a cerimônia seguiu um ritmo arrastado e morno. Muito distante do que foi visto no ano passado, quando Ellen DeGeneres conduziu com maestria a festa e todos os filmes indicados na principal categoria eram dignos de estarem ali. Boa parte da culpa pela falta de charme da premiação deste ano está nas mãos do ator Neil Patrick Harris, que apostou em piadas sem graça, não conseguiu interagir com a plateia e ainda tentou fazer o público rir ao ficar só de cueca no palco. Para ser ruim, ele teria que melhorar muito.

Confira abaixo a lista completa de vencedores:

Melhor filme

Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)

Atriz

Julianne Moore, Para Sempre Alice

Ator

Eddie Redmayne, A Teoria de Tudo

Atriz coadjuvante

Patricia Arquette, Boyhood

Ator coadjuvante

J.K. Simmons, Whiplash: Em Busca da Perfeição

Diretor

Alejandro González Iñárritu, Birdman

Filme estrangeiro

Ida (Polônia)

Animação

Operação Big Hero

Melhor roteiro original

Birdman, Alejandro González Iñárritu, Nicolas Giacobone, Alexander Dinelaris Jr.

Continua após a publicidade

Melhor roteiro adaptado

O Jogo da Imitação, Graham Moore

Canção original

Glory, John Legend e Common (Selma)

Trilha sonora

O Grande Hotel Budapeste, Alexandre Desplat

Documentário

CitizenFour, de Laura Poitras

Fotografia

Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)

Figurino

O Grande Hotel Budapeste

Montagem

Whiplash

Maquiagem e penteado

O Grande Hotel Budapeste

Direção de arte

O Grande Hotel Budapeste

Efeitos visuais

Interstelar

Curta-metragem

The Phone Call

Animação curta-metragem

Feast

Documentário curta-metragem

Crisis Hotline: Veterans Press 1

Edição de som

Sniper Americano

Mixagem de som

Whiplash

Continua após a publicidade
Publicidade