Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Autoridades e políticos lamentam morte de Hebe Camargo

Presidente Dilma Rousseff se disse triste pela morte da 'querida amiga Hebe'

Por Da Redação 29 set 2012, 17h27

Autoridades e políticos renderam, neste sábado, suas homenagens a Hebe Camargo. A apresentadora morreu durante a madrugada, aos 83 anos, vítima de uma parada cardíaca, após uma longa luta contra o câncer. A presidente Dilma Rousseff, o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, o presidente do Senado, José Sarney, além da ministra da Cultura, Marta Suplicy, foram alguns dos que divulgaram nota lamentando a morte de Hebe.

“Recebi hoje, com tristeza, a notícia do falecimento de uma das mais importantes personalidades da televisão brasileira, a minha querida amiga Hebe Camargo. Ela iniciou sua carreira como cantora, atuou como atriz e foi pioneira nos programas de entrevistas. Com sua simpatia e espontaneidade, recebeu, ao longo de seis décadas, as mais diversas personalidades em seus programas de televisão, mantendo sempre uma grande sintonia com o público. Milhares de fãs em todo o Brasil perdem hoje a alegria de Hebe, uma grande artista. Neste momento de dor e tristeza, quero me solidarizar com sua família, seus amigos e todos os telespectadores brasileiros”, diz a nota da presidente Dilma.

Gilberto Kassab publicou uma nota no portal da prefeitura de São Paulo lamentando a notícia e lembrando do bom humor da artista, marca registrada de Hebe. Escreveu: “Hebe se destacou como uma referência em seu trabalho de apresentadora. Sem perder o seu característico bom humor, demonstrou em sua trajetória de sucesso a coragem de defender posições firmes em favor de causas nobres. Uma mulher de grande personalidade e de carisma indiscutível. Deixa um exemplo a ser seguido”.

O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, também se manifestou: “Hebe era sinônimo da alegria de viver. Deixa um vazio nas noites da televisão brasileira”.

Ao visitar o Museu do Futebol, na tarde deste sábado, o candidato do PSDB à prefeitura de São Paulo, José Serra, comentou a morte de Hebe e disse que perdeu uma amiga. “O Brasil perdeu uma pessoa muito importante na área do entretenimento, lazer e até da música. A Hebe começou como cantora e vai fazer muita falta para todos nós”, disse, em conversa com a imprensa. De acordo com o tucano, Hebe representa um pedaço da história da televisão, da animação de auditório e da simpatia.

Em nota, o ex-presidente Lula e a mulher , Marisa Letícia, destacaram o carisma e a alegria da apresentadora. “Hebe Camargo, com sua simpatia e carisma, conquistou a admiração de gerações de brasileiros e deu uma contribuição inigualável para a história da televisão no nosso país. A sua alegria de viver ficará para sempre na nossa memória”, diz o comunicado.

No site do Ministério da Cultura, uma nota assinada por Marta Suplicy afirmou que Hebe representou um marco para a história não só da televisão, mas também do rádio e da cultura brasileira em geral. “Admirava a apresentadora, a mulher e a guerreira. Durante toda a sua vida, com seu jeito espontâneo de ser, Hebe trouxe alegria a milhões de pessoas. Nos últimos anos, continuou um exemplo de otimismo, mesmo diante de uma doença tão dura. Fica a lembrança de uma vencedora, que conduziu a vida como queria”, diz a nota.

O deputado federal Paulo Maluf, em nota, lamentou o falecimento da artista, com quem conviveu “45 anos” de sua vida. “Uma mulher estupenda, corajosa, e uma entrevistadora franca e leal. Vai deixar muitas saudades. O exemplo dela foi dignificante”.

José Sarney, presidente do Senado escreveu: “Hebe foi uma figura que ocupou de maneira marcante algumas décadas da vida artística brasileira, com uma grande vivência, grande sensibilidade para o gosto popular e, ao mesmo tempo, com inteligência e competência. Só temos que lamentar. Uma figura como ela deixa um vazio que não se preenche com facilidade”.

Continua após a publicidade
Publicidade