Clique e assine a partir de 9,90/mês

Aumento de assinantes e plágio: uma boa e uma má notícia para a Netflix

Na mesma semana, a empresa foi processada por copiar o enredo da série 'Stranger Things' e celebrou 10 milhões de novos assinantes no último trimestre

Por Felipe Branco Cruz - Atualizado em 17 jul 2020, 18h51 - Publicado em 17 jul 2020, 17h37

Na mesma semana em que a Netflix celebrou o aumento de 10 milhões de assinantes durante a pandemia, a gigante de streaming enfrentou também uma constrangedora acusação de plágio pela série Stranger Things. Os irmãos Matt e Ross Duffer, criadores da atração, estão sendo acusados pela empresa Irish Rover Entertainment, que diz que o programa de TV é uma cópia de uma outra série, chamada Totem. A acusação foi formalizada em um processo aberto na quarta-feira, 15, na Califórnia.

No processo, a Irish Rover alega que houve violação de direitos autorais e outros danos não especificados. De acordo com a empresa, o roteiro foi criado por Jeffrey Kennedy, que teve a ideia para o Totem após a morte de um amigo de infância que sofria de epilepsia. Jeffrey teria trabalhado com Aaron Sims, que também trabalhou para a Netflix.

Um dia depois, a Netflix anunciou no balanço do último trimestre (entre abril e junho) que conseguiu 10,1 milhões de novos assinantes durante a pandemia do novo coronavírus. Com o acréscimo, a gigante do streaming tem hoje 192,9 milhões de assinantes em todo o mundo. Diante do resultado, a empresa anunciou que espera um crescimento menor para o segundo semestre de 2020, em comparação ao ano anterior.

 

Publicidade