Clique e assine com até 92% de desconto

Artistas do ‘American Idol’ processam Sony Music

O selo que lançou os cantores do programa, 19 Recordings, acusa a Sony Music de errar o repasse de royalties e pede indenização milionária

Por Da Redação 21 fev 2014, 10h01

O selo 19 Recordings, fundado pelo criador do programa de calouros American Idol, Simon Fuller, e que lança todos os artistas vencedores da atração, entrou com processo contra a gravadora Sony Music, distribuidora dos discos, segundo o site da revista The Hollywood Reporter. O selo, e por extensão todos cantores lançados por ele, como Kelly Clarkson e Carrie Underwood, acusa a Sony de roubar milhões de dólares em royalties. No processo, a gravadora 19 Recordings pede indenização de pelo menos 10 milhões de dólares.

Leia também:

Jovem brasileiro emociona jurados do ‘American Idol’

Jennifer Lopez volta a ‘American Idol’ com salário menor

Casal Alex & Sierra vence ‘The X Factor’ americano

A acusação mais grave do processo diz respeito ao repasse de royalties do streaming (transmissão online sem a necessidade de baixar o conteúdo) de canções dos artistas. De acordo com o site, a Sony é uma das maiores empresas da indústria fonográfica a ter feito contrato com serviços de streaming, como Spotify e Google. Mas, segundo acusa o selo, a gravadora trata o serviço como venda e distribuição comum, não como transmissão.

A diferença vai além da escolha de palavras e influencia a porcentagem de repasse do lucro aos artistas. No caso da transmissão, 50% do lucro seria direcionado à 19 Recordings, contra “uma fração disso” quando o streaming é considerado mera venda. O documento afirma que, como resultado, a discrepância chegou a causar prejuízo de pelo menos 3 milhões de dólares.

“Não queríamos entrar com essa ação, mas a Sony não nos deu opção, então isso se tornou necessário para proteger nossos artistas”, afirmou ao site Jason Morey, diretor de música da 19 Entertainment, empresa que produz o American Idol. O processo também acusa a gigante da música de sabotar os artistas do programa ao reduzir o investimento em publicidade e o orçamento destinado a videoclipes, além de errar o repasse de lucros de coletâneas e de discos que venderam mais de um milhão de cópias, entre outras reclamações.

Continua após a publicidade
Publicidade