Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Apresentador pede desculpas a Ludmilla — e se complica ainda mais

Marcão do Povo afirmou que a cantora está 'em baixa' e 'vivendo de processos e não de shows'

Por Da redação 19 jan 2017, 16h55

Depois de ser demitido da Record por chamar Ludmilla de “pobre e macaca” durante o quadro Hora da Venenosa, do programa Balanço Geral DF, Marcão do Povo tentou pedir desculpas à cantora, que já afirmou que vai prestar queixa contra o jornalista. Marcão foi ao programa Timeline da Rádio Gaúcha nesta quinta-feira tentar explicar o ocorrido, mas pode ter apenas complicado ainda mais sua situação.

“Hoje, no país, tudo que você fala é motivo para dizerem que é bullying, racismo”, começou o apresentador. Ele explica que no interior do Centro-Oeste brasileiro, a expressão “macaco preto” é uma referência a pessoas de baixo poder aquisitivo que enriqueceram, como é o caso de Ludmilla – e, nas palavras de Marcão, dele mesmo. “Se eu tivesse citado uma pessoa branca, nada disso teria acontecido”, completa ele.

  • No entanto, para quem estava arrependido, Marcão do Povo pareceu bastante empenhado em denegrir a imagem da cantora. Segundo ele, Ludmilla não vive de seu sucesso, pois está “em baixa” hoje, mas sim de processos que move contra os outros. “Alguém fala que o cabelo dela é preto, ela vai lá e processa. Outro fala que o shorts dela é preto, ela vai lá e processa. Ela está vivendo de processos, não de shows”, afirmou ele, que finalizou: “Ludmilla, perdão se você interpretou errado”.

    Ludmilla também foi alvo de racismo nas redes sociais no ano passado. O autor do ataque foi identificado e será indiciado. A cantora também entrou com processo contra Val Marchiori que, durante a programação do Carnaval de 2016 da RedeTV!, disse que o cabelo da funkeira parecia “um Bombril”.

    Continua após a publicidade
    Publicidade