Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Allison Williams, a boa menina em ‘Girls’ (e na vida real)

A atriz, que interpreta a certinha Marnie na série de sucesso da HBO, desconversa quando o assunto é nudez e diz que nunca gritou com ninguém

Por Carol Nogueira
5 fev 2013, 10h17

Em Girls, eleita a melhor comédia do ano no Globo de Ouro, as quatro atrizes principais guardam semelhanças com as personagens que vivem na tela. A que é, de certa forma, a protagonista da série, Hannah Horvath, é uma aspirante a escritora lutando para sobreviver em Nova York, o que muito lembra a vida de Lena Dunham, também criadora do programa, há alguns anos. E muitos paralelos podem ser traçados também entre a atriz Allison Williams e sua personagem, a certinha Marnie.

LEIA TAMBÉM:

LEIA TAMBÉM: Segunda temporada confirma Girls como melhor nova comédia

Com o mesmo namorado fixo desde o colegial, Marnie passa boa parte da primeira temporada em crise porque ainda não se encontrou. No entanto, não tem coragem de abandonar a sensação de conforto que a familiaridade lhe proporciona. “Tenho poucas diferenças em relação à Marnie, uma delas é que eu tenho um emprego, interpretando Marnie (risos)”, disse Allison durante entrevista com jornalistas na tarde desta segunda-feira, em São Paulo. “Acho que eu seria fã mesmo se não estivesse nela, porque eu tenho 24 anos, moro em Nova York, é um território muito familiar.”

Continua após a publicidade

“Girls se parece com Sex and the City nesse sentido, porque as pessoas se identificam com as personagens. Marnie é a mais centrada, Shoshanna é a mais destrambelhada, Jessa é a aventureira”, diz a atriz. “O programa deu certo porque os problemas são abrangentes: amor, amizade, carreira. Você consegue se identificar, porque sabe o que aquelas expressões no rosto delas significam, você conhece aqueles sentimentos.”

E Allison, assim como Marnie, está apenas começando a ter suas próprias experiências. Filha do âncora de TV da emissora americana NBC Brian Williams, ela só pôde se mudar para Los Angeles para perseguir o sonho de se tornar atriz após terminar a faculdade, na prestigiada universidade de Yale (em New Haven, Connecticut). Foi depois de gravar um vídeo em que canta a música tema do seriado Mad Men que Allison chamou atenção do produtor Judd Apatow, que na época produzia um piloto da série com criação da prodigiosa Lena Dunham. “No meu teste, fiz tranças no cabelo dela. Quando terminamos, ela começou a rir e falou: ‘Eu não tomo banho há uma semana’. O cabelo dela estava nojento, e foi muito ‘Hannah’ da parte dela dizer isso, e eu respondi com algo bem ‘Marnie’, como ‘Não faz bem deixar de lavar o cabelo por tanto tempo’. Foi muito divertido, nós nos demos muito bem, mas achei que não conseguiria o papel”, conta Allison.

Continua após a publicidade

Amizade – Além de contracenarem no programa, Allison conta que ela e Lena também se tornaram boas amigas. “Ela é muito legal, tranquila, humilde. Quando gravamos o terceiro episódio da segunda temporada, em que ela usa uma regata neon transparente, ela terminou de gravar a cena e ficou andando pelo set dizendo às pessoas o que elas deveriam fazer”, conta a atriz. Mas a nudez, que não incomoda a amiga, ainda é um tabu para Allison, a única das meninas de Girls que ainda não ficou nua na série.

“Não me sinto confortável, mas a nudez não incomoda Lena. Para mim, a nudez emocional é mais assustadora. Interpretar essas garotas quando elas estão tão vulneráveis é o maior desafio”, desconversa Allison. “A cena da briga com Hannah foi a mais difícil de gravar. No fim da gravação, Lena e eu havíamos passado cerca de 12 horas gritando uma com a outra, e eu nunca tive uma briga daquelas, embora eu tenha muitas amizades que poderiam se beneficiar de uma briga dessas (risos), eu não grito com as pessoas. Foi difícil gritar com alguém que eu gosto o dia todo e não chorar. Foi exaustivo. Eu cheguei do trabalho e fui direto para a cama.”

Para Allison, boa parte do sucesso de Girls está ligado ao talento de Lena. “Ela é brilhante, o programa é basicamente dela. Ela escreve, dirige, atua, produz”, afirma. “O roteiro do programa é muito bom, e muito dele vem de Lena, ela escreve as coisas do jeito que as pessoas falam, e isso é raro.”

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.