Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Entre acusações, Globo de Ouro 2021 não passou de festa insossa

Envolvida em rumores de corrupção e polêmica sobre racismo, premiação penou para segurar o espectador em festa morna parcialmente virtual

Por Raquel Carneiro Atualizado em 1 mar 2021, 01h11 - Publicado em 1 mar 2021, 00h20

O clima não poderia ser pior. Em meio à pandemia, o Globo de Ouro apresentou sua 78ª edição mergulhado em acusações, enquanto tentava manter de pé uma cerimônia com participação virtual dos indicados – filtrados em um ano de cinemas fechados, filmagens interrompidas e estreias adiadas. O resultado, apesar dos esforços das apresentadoras, Tina Fey e Amy Poehler, foi mediano. Sem grandes surpresas nem a ajuda do brilho de celebridades na plateia – que foi preenchida por poucos trabalhadores essenciais – o prêmio ainda se mostrou menos preparado para a versão on-line que o colega Emmy. No ano passado, a premiação que elege o melhor da TV mandou bem no humor ácido e político, enquanto a equipe de apoio, vestida dos pés à cabeça com uma roupa de proteção, entregava na casa de cada indicado sua estatueta. Mesmo luxo não aconteceu com os vencedores do Globo de Ouro, que discursaram sem o prêmio na mão – Daniel Kaluuya ainda teve o discurso interrompido por falhas técnicas.

O elefante na sala, porém, era a acusação que paira sobre a Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood (HFPA, da sigla em inglês), responsável pelo prêmio. Uma reportagem do Los Angeles Times acusou a HFPA de aceitar presentes e até pagamentos em troca de indicações. A Associação nega as acusações. Não bastasse o escândalo, às vésperas do evento, atores e diretores se uniram em um protesto nas redes sociais contra a falta de negros entre os 87 membros dos votantes do Globo de Ouro.

As apresentadoras, Tina Fey e Amy Poehler, não deixaram as polêmicas de fora do discurso de abertura. Ao explicar o que era a HFPA, Tina Fey afirmou se tratar de “cerca de 90 jornalistas internacionais – nenhum deles negro – que participam de exibições de filmes anualmente em busca de uma vida melhor”. Alguns blocos depois, representantes da HFPA subiram ao palco para admitir que precisam melhorar e que vão trabalhar por maior representatividade.

Ben Stiller apresenta categoria de melhor atriz em comédia ou musical no Globo de Ouro 2021
Ben Stiller apresenta categoria de melhor atriz em comédia ou musical no Globo de Ouro 2021 Peter Kramer/Getty Images
Os trabalhadores da linha de frente e de serviços essenciais comparecem como convidados durante o 78º Prêmio Anual do Globo de Ouro, em Nova York -
Os trabalhadores da linha de frente e de serviços essenciais foram os convidados do Globo de Ouro 2021 – Kevin Mazur/Getty Images

Já os prêmios foram distribuídos de forma pulverizada. The Crown foi o que levou mais estatuetas entre as categorias de TV, com quatro vitórias, entre elas melhor série de drama. Josh O’Connor e Emma Corrin deixaram veteranos para trás e levaram os prêmios de melhor ator e atriz em série de drama, respectivamente, por interpretarem príncipe Charles e princesa Diana no programa da Netflix. Em um ano fraco para a comédia na TV, Schitt’s Creek levou, como esperado, o prêmio de melhor série cômica.

Nas categorias de cinema, poucas surpresas. Entre elas, a vitória de Andra Day por Estados Unidos vs. Billie Holiday na categoria de melhor atriz em drama. Em um momento emocionante, Chadwick Boseman levou um troféu póstumo por A Voz Suprema do Blues, que foi recebido pela viúva Taylor Simone Ledward. Borat: Fita de Cinema Seguinte conquistou a estatueta de melhor filme cômico e Sacha Baron Cohen o de melhor ator do gênero. Seguindo como favorito ao Oscar após vencer o Festival de Veneza, Nomadland ganhou o prêmio de melhor filme dramático e melhor direção, para Chloé Zhao. Confira aqui a lista completa de vencedores.

Continua após a publicidade
Publicidade