Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Advogado de Flávia Alessandra rebate Antonia Fontenelle

Disputa pela herança de Marcos Paulo depende principalmente da validade de um documento que teria sido deixado pelo ator

Por Da Redação 3 ago 2017, 19h39

Desde dezembro de 2012, um mês após a morte do ator Marcos Paulo, uma disputa judicial corre entre as três filhas do ex-diretor da Globo e Antonia Fontenelle, com quem ele manteve uma união nos últimos anos de sua vida.

O motivo da briga é a herança do artista, que deixou um testamento onde aparecem apenas as suas três filhas, e um documento apresentado por Antonia, onde ele deu parte de suas contas bancárias à apresentadora. Esta última carta, porém, é o que vem sendo colocada em xeque.

“A condição de herdeira nunca foi questionada, até porque decorre da escritura de união estável celebrada entre Antonia e Marcos Paulo”, declara Alessandro Elísio Chalita de Souza, representante de Flávia Alessandra e de sua filha com o ator, Giulia, referindo-se à decisão judicial tomada na quarta-feira, na qual Antonia foi reconhecida novamente como uma das herdeiras no processo.

Porém, o fato de Antonia ter esse reconhecimento não lhe dá direito imediato a receber qualquer parte do patrimônio de Marcos Paulo, já que o casal firmou uma união estável com separação de bens. Ela só saberá se fará parte do legado do ator quando o documento for definitivamente analisado pelo Superior Tribunal de Justiça, em Brasília, onde está agora.

Mesmo assim, seu advogado, Adailton Carlos Rodrigues, comemora: “O fato de ser reconhecida é uma questão moral, pois conviveu com ele durante 7 anos. Ainda que venha a não receber ou ficar com valores pequenos, este reconhecimento retrata a vida dela com Marcos”.

Antonia Fontenelle e Marcos Paulo
Antonia Fontenelle e Marcos Paulo: casal ficou junto por sete anos Marcelo Loureiro/VEJA

O cenário para Antonia, segundo o representante de Flávia Alessandra, não é favorável. “A Sra. Antonia sofreu sucessivas derrotas na Justiça do Rio de Janeiro, já que foi constatado que o mesmo (documento) foi escrito a mão, numa letra pouco legível, sem nenhum registro e sem testemunhas”, diz Alessandro de Souza. “Fato é que a Sra. Antonia tem histórico de má utilização e manipulação indevida de documentos”, acusa se referindo a um imóvel em Nova York que também foi alvo de um processo aberto pelas filhas de Marcos Paulo contra a atriz.

Segundo o representante de Giulia, o apartamento não entrou no inventário brasileiro. “A Justiça americana, por sua vez, reconheceu a FRAUDE perpetrada pela Sra. Antônia, que de forma indevida, utilizou uma procuração sem validade para transferir para si esse patrimônio em detrimento das três herdeiras”, completou. O advogado de Antonia Fontenelle, Adailton Carlos Rodriges, diz não poder comentar o caso pois não representou a atriz no exterior. “O que estou questionando é que sejam apresentadas as informações do caso de lá no processo aqui no Brasil”, afirmou.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês