Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Abba volta após 40 anos embalado para conquistar a Geração Z

Banda sueca, que anunciou novo disco e volta aos palcos – em versão digital –, conquistou os usuários do TikTok

Por Raquel Carneiro 3 set 2021, 12h53

O quarteto sueco Abba criou, no dia 1º de setembro, um perfil no TikTok, a famigerada rede de vídeos que faz sucesso entre os jovens da Geração Z. Em menos de quatro dias, a banda, que anunciou um novo disco, o primeiro em 40 anos, chegou a 6,5 milhões de curtidas na plataforma. O número serve como régua para atestar que o quarteto não só voltou para alegrar os fãs saudosistas: o Abba está pronto e embalado para conquistar uma nova geração.

Nesta semana, o grupo confirmou que lançará o novo álbum de inéditas, batizado de Voyage, no dia 5 de novembro e divulgou duas novas músicas, I Still Have Faith in You e Don’t Shut Me Down. Eles anunciaram ainda que farão, a partir de maio de 2022, uma nova turnê em Londres. Porém, no palco estarão versões digitais dos cantores, que hoje estão na casa dos 70 anos de idade – eles garantiram, porém, que não se tratam de hologramas. Os ingressos começam a ser vendidos a partir do próximo dia 7 de setembro.

O grupo criado em 1972, em Estocolmo, foi um fenômeno mundial da era disco, com seu pop dançante e de batidas eletrônicas. O tempo de estrada foi curto: o último disco inédito, The Visitors, saiu em 1981, após os divórcios dentro da banda. Benny Andersson e Anni-Frid Lyngstad eram um casal, assim como Björn Ulvaeus e Agnetha Fältskog. O ostracismo, porém, não enterrou a banda. Nos anos 2000, discos com compilações de grandes sucessos e o musical Mamma Mia, peça da Broadway que foi adaptada em dois filmes de sucesso, ajudaram a manter em alta os indefectíveis hits do grupo, como Dancing Queen e Gimme! Gimme! Gimme!.

As canções interpretadas no filme caíram nas graças dos jovens que alimentam o TikTok com vídeos curtos nos quais dublam as músicas, ou fazem paródias de cenas dos longas. Adepto de inovações, desde os anos 70, o Abba mostra que ainda está mais do que conectado com o que o público quer – os antigos e os novos.

Continua após a publicidade

Publicidade