Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

A resposta ocidental ao K-pop atende pelo nome de Now United

O grupo tem até participação de uma brasileira

Por Felipe Branco Cruz Atualizado em 10 jul 2020, 12h13 - Publicado em 10 jul 2020, 06h00

A resposta ocidental ao K-pop atende pelo nome de Now United e tem participação de uma brasileira. Idealizado em 2017 pelo produtor britânico Simon Fuller, dos reality shows Idols e American Idol, o grupo globalizado tem quinze integrantes de quinze países — inclusive a cantora paulista Any Gabrielly, de 17 anos, dona de inglês fluente e uma das principais solistas do conjunto. A estratégia do Now United é semelhante a utilizada pelo K-pop. Tudo é planejado para causar o máximo de impacto visual, desde os shows e coreografias até as aparições públicas e entrevistas. No YouTube, o grupo tem quase 5 milhões de inscritos e posta videoclipes, animações e até um programa dos bastidores das turnês. Os integrantes foram escolhidos em concorridas seletivas e vêm de nações de todos os continentes — como Filipinas, Japão, China, Reino Unido, México, Índia, Alemanha, Rússia e também a Coreia do Sul. A ideia é que qualquer jovem ao redor do mundo possa criar familiaridade com algum participante. A estreia ocorreu em 2018, durante a Copa do Mundo da Rússia. Em 2019, eles se apresentaram no festival da Liga dos Campeões da Uefa e, até a chegada da pandemia, seguiam em turnê mundial ininterrupta. O nível de exigência é rigoroso, mas a brasileira Any tira de letra. Antes de entrar no grupo, aos 9 anos ela atuou na adaptação nacional do musical O Rei Leão. Depois, dublou em português a personagem Moana na animação da Disney — até, enfim, entrar no espertíssimo radar de Simon Fuller.

Publicado em VEJA de 15 de julho de 2020, edição nº 2695

  • Publicidade