Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

A batalha do controle remoto: os novos serviços de streaming no país

A aguardada plataforma Disney+ acaba de ganhar data para chegar ao Brasil

Por Raquel Carneiro Atualizado em 24 ago 2020, 12h48 - Publicado em 21 ago 2020, 06h00

– Disney+
O aguardado serviço de streaming Disney+ acaba de ganhar data para chegar ao Brasil: 17 de novembro. Rival da Netflix, o canal já tem 60,5 milhões de assinantes nos países onde opera. O catálogo trará grifes da empresa, como produções da Pixar e Marvel, além da franquia Star Wars. Entre seus sucessos está a série original The Mandalorian, que popularizou o fofo bebê Yoda (foto acima), e o novo Mulan, que será lançado diretamente na plataforma nos Estados Unidos.

– Starzplay
A plataforma americana tem conquistado espaço no Brasil. Seu forte são séries maduras e variadas, entre as quais a divertida The Great, sátira sobre a trajetória da imperatriz russa Catarina, a Grande, e os viciantes dramas Normal People e The Act. Além desses, estão por lá desde seriados de época sobre a realeza europeia até tramas de terror baseadas nos livros de Stephen King.

– Belas Artes à la Carte
Parte do Belas Artes Grupo, união entre o cinema de rua paulistano Petra Belas Artes e a distribuidora independente Pandora, o serviço é rico em filmes de arte e títulos antigos difíceis de ser encontrados, caso da edição comemorativa de quarenta anos de Apocalypse Now, obra-prima de Francis Ford Coppola. Com os cinemas fechados, o site também tem abrigado a estreia de novos longas nacionais.

– Cinema Virtual
A novata plataforma nacional coloca semanalmente em cartaz opções de filmes escolhidos a dedo para aluguel. São títulos de países variados, que fazem o estilo cult. Estão por lá atualmente o russo O Terremoto de Spitak, sobre as consequências do devastador abalo sísmico que atingiu a Armênia em 1988, e o elogiado O Pássaro Pintado, que acompanha a jornada de um garoto judeu sozinho no Leste Europeu durante a II Guerra Mundial.

Publicado em VEJA de 26 de agosto de 2020, edição nº 2701

Continua após a publicidade
Publicidade