Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

5 vezes em que Luciano Huck foi alvo de vaias e controvérsias

Atacado pela torcida durante a Olimpíada, apresentador já enfrentou muitas polêmicas durante sua carreira

Por Da redação Atualizado em 10 ago 2016, 16h07 - Publicado em 10 ago 2016, 15h42

Ao aparecer no telão do Maracanãzinho durante a estreia da seleção masculina de vôlei, no último domingo, Luciano Huck foi alvo de longas vaias do público presente. Ao ser questionado sobre a manifestação, o apresentador desconversou e disse que fazia parte da vida pública, mas a hostilidade prosseguiu nas redes sociais depois que ele deixou a arena. E agora se soma a uma série de episódios controversos que tiveram Huck no centro dos acontecimentos.

LEIA TAMBÉM:
Vaias a Luciano Huck continuam nas redes sociais
Grupo de haitianos repudia reportagem de Luciano Huck
Cigarro suspeito de Luciano Huck incendeia a internet

Huck vem enfrentando uma série de polêmicas — e um crescente grau de rejeição — nos últimos anos, seja por apoiar Aécio Neves, por deixar um cigarro suspeito à mostra em uma foto ou por veicular uma matéria sobre haitianos que desagradou aos imigrantes daquele país.

Confira abaixo cinco ocasiões em que o apresentador foi alvo de vaias:

Haitianos ofendidos

No dia 5 de junho deste ano, Huck veiculou uma reportagem sobre o Haiti durante intervalo de uma partida da Copa América entre a seleção do país e a brasileira. Imigrantes ficaram descontentes com os comentários de Huck, que legendou as imagens com a frase “a humanidade não deu certo”. Em resposta, um grupo gravou um vídeo em que afirmava que algumas das cenas gravadas seriam de 2004, quando o Haiti vivia o auge de sua instabilidade política, e de 2010, ano em que o país foi alvo de um terremoto.

Cigarrinho de maconha?

Luciano Huck faz selfie enquanto corta cabelo com o Celso Kamura. Imagem chamou a atenção pelo cigarro suspeito no canto inferior esquerdo

Continua após a publicidade

O apresentador fez um selfie enquanto cortava o cabelo, mas sobre a bancada do cabeleireiro aparecia um cigarro suspeito. Não demorou para os seguidores mais atentos apontarem o objeto, no lado inferior esquerdo da foto, e sugerissem que Huck “esqueceu o baseado” na mesa. Ele não disse nada, mas apagou a imagem, como se nada tivesse acontecido.

Brasileiras para gringos

Luciano Huck e seu post controverso na página do programa 'Caldeirão', na Globo

Durante a Copa do Mundo, Huck teve a ideia de tentar arranjar gringos para brasileiras solteiras e vice-versa. A campanha do apresentador, que provavelmente se tornaria um quadro no seu programa, foi muito mal vista pois na época se espalhava uma corrente de conscientização contra a exploração sexual. A proposta, que continha ainda um e-mail de contato, foi divulgada no Facebook e no Twitter, que imediatamente se encheram de críticas e pedidos de respeito às brasileiras. Para evitar constrangimento maior, Luciano apagou o post.

Camisetas pró-pedofilia?

Camiseta infantil da grife de Luciano Huck gera polêmica na internet

A grife do apresentador , a UseHuck, lançou em 2015 uma camiseta infantil com a frase “Vem ni mim que eu tô facin”. A foto de divulgação do produto trazia uma garotinha loira vestindo a peça. Ao ganhar as redes sociais, o apresentador e a empresa foram acusados de incentivar a pedofilia. A repercussão foi tão grande que a marca tirou a foto do ar e se desculpou em um comunicado divulgado em seu site.

Apoio a Aécio Neves

O empresário Eike Batista, Aécio Neves e o apresentador Luciano Huck assistem a edição carioca do UFC
O empresário Eike Batista, Aécio Neves e o apresentador Luciano Huck assistem a edição carioca do UFC Felipe Panfili/Agnews/VEJA

Durante a campanha presidencial de 2014, Luciano Huck foi um dos maiores apoiadores do candidato derrotado Aécio Neves. O apresentador chegou até a promover em sua casa um encontro do político com a classe artística. Devido à grande turbulência política dos últimos meses, Huck conquistou por tabela a rejeição dos opositores do tucanato.

Continua após a publicidade
Publicidade