Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Após meses fechado, Museu da Diversidade Sexual escolhe novo gestor

Objetivo, segundo a Secretaria de Cultura e Economia Criativa, é viabilizar a reabertura e retomar as atividades do equipamento

Por Alessandro Giannini Atualizado em 29 jul 2022, 19h11 - Publicado em 29 jul 2022, 18h57

No dia em que o Museu da Diversidade Sexual, em São Paulo, completa quatro meses fechado por decisão judicial, a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado lança uma Convocação Pública Extraordinária para gestão do equipamento. Os interessados podem se candidatar até o dia 8 de agosto. O objetivo, segundo a secretaria, é viabilizar a reabertura do museu e retomar as atividades, após decisão liminar que suspendeu o contrato com o Instituto Odeon, vencedor da última convocação.

Em dezembro do ano passado, o deputado estadual Gil Diniz (PL), conhecido como “Carteiro Reaça”, entrou com uma ação questionando o contrato entre o governo e o Instituto Odeon, no valor de 30 milhões de reais em cinco anos. No fim de abril, um decisão liminar da juíza Carmen Cristina Teijeiro determinou o fechamento do museu. No dia 14 de junho, o Ministério Público emitiu um parecer afirmando que a liminar que suspendeu o acordo legal com a organização social e impossibilitou a manutenção do museu não deve prosperar.

Em sua ação, o deputado do PL, correligionário do presidente Jair Bolsonaro, questiona o contrato de gestão entre a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado e o Instituto Odeon, no valor de 30 milhões de reais, a serem destinados em cinco anos. Além disso, coloca em dúvida também um projeto de ampliação do equipamento, orçado em 9 milhões de reais.

Em nota, o Instituto Odeon se posicionou sobre a convocação extraordinária da secretaria e afirmou compreender a “necessidade de se reabrir o equipamento o mais breve possível, enquanto não ocorre o julgamento do mérito que defere a liminar que suspende o Contrato de Gestão firmado entre a Secretaria de Cultura e o Odeon”. A decisão pode, a qualquer momento, conceder ao instituto o direito de retomada do contrato.

A seguir, a íntegra da nota:

“Considerando a publicação da Convocação Pública para credenciamento e apresentação de propostas para a gestão do Museu da Diversidade Sexual (MDS), o Instituto Odeon, gestor do MDS, reitera o seu compromisso com o bem público e compreende a necessidade de se reabrir o equipamento o mais breve possível, enquanto não ocorre o julgamento do mérito que defere a liminar que suspende o Contrato de Gestão firmado entre a Secretaria de Cultura e o Odeon. Tal julgamento pode, a qualquer momento, conceder ao Instituto o direito de retomada do contrato.

O Instituto Odeon entende que a manutenção do fechamento é uma perda para toda a comunidade LGBTQIAPD+, em um momento já tão difícil. O MDS, por ser um aparelho de transformação social importante na luta pela dignidade humana em favor do direito à memória e à diversidade cultural, precisa reabrir para continuar suas ações de preservação, pesquisa e difusão do patrimônio cultural e museológico.

Cabe ainda lembrar que o Ministério Público protocolou um parecer sobre o caso no qual diz entender que a liminar, que suspendeu o contrato de gestão e impossibilitou a manutenção do Museu, não deveria prosperar e que a decisão não poderia resultar na suspensão do repasse financeiro à gestão do equipamento. Na ocasião o MP já apontava sobre os prejuízos causados em decorrência do fechamento, como a deterioração do espaço, do acervo, suspensão de projetos. Todos os documentos referentes a gestão do MDS estão disponíveis no site do Instituto Odeon.”

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)