Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
VEJA Recomenda Por Coluna Os principais lançamentos da música, do cinema, da literatura e da produção infanto-juvenil, além da TV, comentados pelo time de VEJA

‘Minha Amiga do Parque’: atmosfera tensa em bom filme argentino

Hábil na construção do enredo, a diretora Ana Katz extrai comentário social acurado de uma situação aparentemente banal

Por Da Redação Atualizado em 23 fev 2018, 06h01 - Publicado em 23 fev 2018, 06h00

(Mi Amiga del Parque, Argentina/Uruguai, 2015. Já em cartaz no país) Julieta Zylberberg, uma das melhores atrizes argentinas, é Liz, apaixonada pelo primeiro bebê, confusa com a enormidade de ser mãe, frustrada por não conseguir amamentar e sentindo-se ainda solitária, com o marido em viagem. Num parque, ela conhece Rosa (Ana Katz, também diretora do filme), que se apresenta como mãe de uma recém-nascida. Rosa é dada a familiaridades imediatas: quer de todo jeito que Liz a leve de carro a outra cidade; pega o dinheiro da conta do restaurante e sai sem pagar; vem de visita e já vai dormindo no sofá; traz a tiracolo a irmã (Maricel Álvarez). Hábil na construção do enredo — Rosa é apenas meio grosseira e encostada, ou teria más intenções? —, a diretora extrai atmosfera tensa e comentário social acurado de uma situação aparentemente banal.

Publicidade