Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

VEJA Recomenda Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Coluna
Os principais lançamentos da música, do cinema, da literatura e da produção infanto-juvenil, além da TV, comentados pelo time de VEJA
Continua após publicidade

Avó de Pabllo Vittar, Maria Alcina faz recorte pessoal de Caetano

Cantora usa o vozeirão e o tom debochado em faixas como 'A Voz do Morto', 'Os Mais Doces Bárbaros', 'Gênesis', 'Língua' e 'O Estrangeiro'

Por Maria Carolina Maia Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 24 jun 2017, 06h29 - Publicado em 24 jun 2017, 06h29

Quando Maria Alcina chamou a atenção do público e da crítica no Festival Internacional da Canção (FIC) de 1972, em que interpretou Fio Maravilha, de Jorge Ben, Pabllo Vittar, a drag queen do momento na música brasileira, nem sonhava em nascer. Pabllo tem 22 anos, contra 68 de Maria Alcina, que poderia ser considerada uma avó da maranhense. Do alto de seus 45 anos de carreira — o primeiro disco veio depois do estouro no FIC –, Alcina poderia ser um farol  para as novas gerações, embora Pabllo tenha uma reconhecida luz própria. Mas ela tem o que ensinar. Lições de atitude, de empoderamento (para usar uma palavra cara aos novinhos) e de bom gosto. Em Espírito de Tudo, disco que lança agora, Maria Alcina faz uma seleção bastante pessoal da obra de Caetano Veloso. Em algumas faixas, poderia ter roubado mais a música para si, é verdade — Tropicália é tão fiel à versão original que conta até com a narrativa sobre a carta de Pero Vaz de Caminha no início. Mas ao longo de todo o disco não deixa de usar o vozeirão e o tom debochado para percorrer décadas de criação de Caetano, através de faixas como A Voz do Morto, Os Mais Doces Bárbaros, Gênesis, Língua, O EstrangeiroFora da Ordem, e a mais recente A Cor Amarela.


Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.