Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
VEJA Gente Por Valmir Moratelli Notícias sobre as pessoas mais influentes do mundo do entretenimento, das artes e dos negócios

Tesão, camarão, futebol: os destaques da longa entrevista de Lula

Pré-candidato às eleições presidenciais, petista conversou por duas horas e meia com os youtubers Igão e Mítico

Por Cleo Guimarães 3 dez 2021, 12h32

Foram duas horas e meia de uma conversa que teve como saldo mais de 3,3 milhões de visualizações no YouTube, 300 mil ouvintes simultâneos no podcast e a primeira colocação nos assuntos mais comentados do Twitter mundial durante a madrugada. O papo de Lula com Igão (Igor Cavalari) e Mítico (Thiago Marques), do Podpah, na noite desta quinta (2), teve alguns  destaques. A seguir, um resumão com os momentos que mais repercutiram:

Este foi o trecho mais compartilhado nas redes. A pergunta “Pobre pode comer camarão?” era uma referência à polêmica causada pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro ao criticar a refeição oferecida ao ator e diretor Wagner Moura, em ocupação em São Paulo.

Outros destaques:

“Enquanto eu tiver vida e vontade de brigar, por que eu vou parar? Você não imagina o tesão que eu estou para consertar este país. Quero provar que esse elite perversa não consegue governar esse país e só pensa nela”;

Continua após a publicidade

“Eu jogava futebol muito bem, na meia-direita. Era uma espécie de Didi, Kaká. Joguei com o Sócrates. Ele gostava de uma cervejinha, como eu”;

“O sofrimento te faz ficar mais generoso. Eu não podia ficar com raiva na cadeia senão dava cabeçada na parede”;

“Estavam lá George Bush, Jacques Chirac, Hu Jintao, o primeiro-ministro do Japão, o presidente da Itália, o rei da Arábia Saudita… Pensei: Ok. Desses caras aqui, quem já passou fome? Ninguém, só eu. Quem aqui já trabalhou no chão de fábrica? Ninguém. Quem já viu sua casa alagada, com um metro e meio de água e rato boiando tentando se salvar, com barata tentando se salvar, com m. boiando? E você tem que ficar levantando a geladeira e o fogão e tirar sua mãe da casa… Quem desses caras já passou por isso? Ninguém. Então, eu sou mais eu”. (Sobre a importância da autoestima e o seu primeiro encontro com grandes líderes mundiais, na França, em 2003);

“O Bolsonaro é uma anomalia política no Brasil. Sabe por que ele é uma anomalia? Porque ele não deveria existir. O povo brasileiro, pela luta que teve, não era para ter uma figura tão grotesca. Ele é grosso”;

“Esse cara não sabe respeitar o ser humano, esse cara não gosta de negro, não gosta de LGBT, não gosta das mulheres, não gosta de sindicatos. Ele só gosta de milico e de miliciano”;

“O cara falou que tomar vacina contra a Covid pode dar Aids. Você tem um psicopata mentindo pro país o dia inteiro. Isso não é normal”.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês