Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
VEJA Gente Por Cleo Guimarães Notícias sobre as pessoas mais influentes do mundo do entretenimento, das artes e dos negócios

O que Eduardo Leite diz sobre sua participação na campanha de Doria

Governador do Rio Grande do Sul reafirma que não vai trair suas convicções e pode apoiar outro candidato: 'Antes de ser partidário, sou brasileiro'

Por Cleo Guimarães Atualizado em 1 dez 2021, 19h02 - Publicado em 1 dez 2021, 16h34

Derrotado nas prévias que escolheram o pré-candidato do PSDB às eleições presidenciais, Eduardo Leite disse que pode mudar de ideia: a sua decisão de não se envolver na campanha de João Doria não é definitiva. “Ainda não estou decidido a não participar. Apenas temos de encontrar de que forma eu posso ajudar”, disse a VEJA o governador do Rio Grande do Sul.

“Temos estilos e métodos diferentes de fazer política. Minha participação não poderá trair minhas convicções, e também não pode ser algo que não esteja de acordo com a visão do candidato”. Leite citou ainda uma recente declaração de Pedro Passos, um dos fundadores da Natura.

Ao defender uma terceira via nas eleições, o empresário disse querer evitar um embate entre o inaceitável (a reeleição de Bolsonaro) e o indesejável (a volta do ex-presidente Lula ao poder), numa afirmação com a qual o político disse concordar plenamente. “Antes de ser partidário, sou brasileiro interessado em que o país não seja jogado novamente num segundo turno como esse”, afirmou Leite.

“Posso até ajudar a dar instrumentos e condições para que a candidatura (de Doria) se torne mais viável. Se ela não se viabilizar, vou buscar ajudar a candidatura que mais tiver essa condição”, disse.

Continua após a publicidade

Publicidade