Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
VEJA Gente Por Valmir Moratelli Notícias sobre as pessoas mais influentes do mundo do entretenimento, das artes e dos negócios

Mulher de Milton Gonçalves denunciou racismo na TV há 26 anos

Em matéria da VEJA em 1996, Oda Gonçalves declarou: “Queria vê-lo beijar a Vera Fischer na boca no horário nobre”

Por Valmir Moratelli Atualizado em 6 jun 2022, 11h08 - Publicado em 31 Maio 2022, 14h30

Em depoimento a VEJA na edição do dia 20 de março de 1996, Oda Gonçalves, que foi casada com o ator Milton Gonçalves desde 1966 e com quem teve três filhos, relatou como era lidar com o preconceito da sociedade: “Até conhecê-lo, nunca havia prestado atenção ao preconceito racial que existe em nosso país. Só quando começamos a namorar é que percebi o que acontecia. Minhas amigas da faculdade me diziam: ‘O Milton é preto, mas é limpo, é cheiroso’”.

Oda também falou sobre a dificuldade de atores negros de ingressarem na TV e terem papéis de destaque – um problema que persiste ainda hoje.

Queria vê-lo beijar a Vera Fischer ou a Maitê Proença na boca no horário nobre. Ou uma atriz negra ser beijada por um galã branco. Há muitos atores mais velhos que o Milton que fazem papel de galã, mesmo estando barrigudos ou com a barba branca. Então, não é um problema de idade, e sim de cor. Atores homossexuais também podem ser galãs na televisão sem problema. A Globo está cheia de galãs homossexuais, e não tem nenhum galã negro. Por favor, não misturem a problemática homossexual com o problema do negro. Negro não é minoria. Não tenho nada contra. Só quero espaço para os negros, oportunidades iguais para todos os atores”.

Milton morreu nesta segunda-feira, 30, aos 88 anos. Considerado um dos maiores atores de sua geração, ficou conhecido por trabalhos em novelas como O bem-amado (1973) e as primeiras versões de Pecado capital (1975) e Sinhá Moça (1986). Com Oda, teve os filhos Maurício, Catarina e Alda.

Depoimento de Oda Gonçalves a Veja em 1996
Depoimento de Oda Gonçalves a VEJA em 1996 Reprodução/VEJA
Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)