Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
VEJA Gente Por Valmir Moratelli Notícias sobre as pessoas mais influentes do mundo do entretenimento, das artes e dos negócios

10 anos do Porta dos Fundos: quando o canal de humor irritou a esquerda

Sucesso de público, o perfil no Youtube ultrapassa 7 bilhões de visualizações. E já foi acusado de machismo, gordofobia e etarismo

Por Valmir Moratelli Atualizado em 27 Maio 2022, 18h51 - Publicado em 28 Maio 2022, 11h00

Completando uma década de atuação, o Porta dos Fundos foi fundado por Antonio Tabet, Fábio Porchat, Gregorio Duvivier, João Vicente de Castro e Ian SBF. Conhecido pela sátira comportamental, além da crítica social e política, o canal no Youtube agrega vários sucessos que caíram na boca do povo. A produtora venceu o Emmy Internacional de Comédia em 2019, pelo polêmico Especial de Natal criado para a Netflix. Em dez anos, se tornou referência em entretenimento em multiplataforma, atuando em séries, filmes, branded content, entre outros. Mas nem tudo é impecável nessa trajetória.

O Especial de Natal: a Primeira Tentação de Cristo retratou Jesus como gay (Gregorio Duvivier), que se relaciona com o jovem Orlando (Fábio Porchat), e um Deus mentiroso (Antonio Tabet) que vive um triângulo amoroso com Maria e José. O vídeo sofreu boicote de grupos religiosos de direita – mas também teve ataques vindos da esquerda. Curiosamente, os vídeos de crítica religiosa costumam ser os mais divertidos do canal.

Leia mais: Gregório Duvivier e Ciro Gomes trocam farpas na live do pré-candidato

Em 2020, o vídeo Teste de Covid recebeu diversas críticas de ativistas, que consideraram o conteúdo gordofóbico. O ator Fabio de Luca interpreta um paciente em busca do resultado de um teste para Covid-19, enquanto a atriz Thati Lopes faz a atendente de laboratório que passa orientações médicas por celular. Ela avisa que resultado foi negativo, pois o vírus não conseguiu “resistir ao seu corpo podre” e “morreu abafado dentro da veia dele”. A ironia a pessoas gordas foi bastante criticado, o que levou o grupo a ocultar o vídeo no canal. Porchat veio a público pedir desculpas.

Ainda em novembro do mesmo ano, o grupo retirou do ar um vídeo que fazia sátira à vereadora mais votada de Curitiba (PR). Na narrativa, um ator homem vestido com roupas femininas comemorava ser a mulher que mais recebeu votos nas últimas eleições. Grupos de esquerda criticaram a obra, classificando-a como machista e misógina. Na mesma época, a capital paranaense elegeu uma mulher como a candidata mais votada da cidade, Indiara Barbosa, 37 anos.

Em janeiro de 2021, nova polêmica. A sátira envolvia uma conversa em aplicativo de videoconferência, entre colegas de trabalho, em que a mãe de um deles (vivido por Fábio Porchat), o interrompia para falar assuntos banais. Estressado, ele respondia como quem falava com uma criança. Os colegas de trabalho o questionam então sobre sua responsabilidade com a mulher de 59 anos (!). Um evidente etarismo, preconceito contra determinada faixa etária.

Em 2015, o Porta precisou se desculpar por transfobia. Num vídeo, um homem fica revoltado ao descobrir que levou para cama uma mulher que não é transexual. “Você passou a noite inteira se passando por travesti”, diz o personagem (vivido por Rafael Infante). “Com essa maquiagem de travesti, em um lugar onde só tem travesti. Na sua testa está escrito: ‘Sou um traveco’”. Foi a vez de Gregório vir a público pedir desculpas…

Apesar dessas “derrapadas”, o Porta costuma ser acusado por grupos de direita de se guiar por pautas identitárias “esquerdistas”. De carona nessa fama, em 2016, divulgaram o vídeo Reunião de Emergência 3 – a delação 2, no qual brincam com acusações de que o grupo seria beneficiado pelo governo petista. No esquete, o investigador Federal (interpretado por Gregorio) interroga um delator (Porchat). Para o policial, só interessam informações contra o ex-presidente Lula, ignorando revelações sobre outros partidos. Foi uma das poucas vezes que os críticos ao canal se sentiram representados – e felizes – com o humor do grupo, que já conta com 17,3 milhões de inscritos no Youtube.

/
CAINDO EM TENTAÇÃO - Jesus/Duvivier e seu parceiro de deserto, o loiro Orlando/Porchat: humor escrachado Reprodução/Netflix
Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)