Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
VEJA Comprova Por Tulio Kruse Jornalismo contra a desinformação

Entrevista sobre voto foi feita por humorista, não pelo Datafolha

Deputado federal Carlos Jordy publicou vídeo que ironiza as pesquisas de intenção de voto, mas o conteúdo é trecho de uma pegadinha

Por Da Redação Atualizado em 13 jun 2022, 18h11 - Publicado em 13 jun 2022, 16h57

É enganoso o post do deputado federal Carlos Jordy (PL-RJ) com um vídeo que ironiza as pesquisas de intenção de voto. A gravação publicada por ele é trecho de uma pegadinha do humorista Mizael Silv, o que não foi identificado na postagem; o político a legendou apenas com “Olha o DataPovo indignado com o DataFolha kkkk”. Embora no vídeo haja a legenda “Pesquisa pra faculdade”, muitos seguidores acham que a gravação é uma denúncia sobre como o instituto de pesquisa do Grupo Folha atua em campo.

Conteúdo investigado: Trecho de pegadinha em que um entrevistador pergunta a um homem em quem ele vai votar. Ele responde “em Bolsonaro” e o humorista diz que o entrevistado “não tem cara de quem vota” naquele candidato e vai colocar como resposta o adversário, Lula.

Onde foi publicado: Facebook, Twitter e Instagram.

Conclusão do Comprova: É enganoso post com vídeo em que um homem pergunta a outro em quem ele vai votar. Ao ouvir a resposta “em Bolsonaro”, o entrevistador afirma: “Pronto, mas como o senhor tem cara de quem vota em Lula, eu vou botar o senhor como quem vota em Lula aqui”. A gravação é trecho de uma pegadinha, o que não foi informado na postagem do deputado federal Carlos Jordy. Ele apenas escreveu a legenda “Olha o DataPovo indignado com o Datafolha kkkk”. Na gravação há a legenda “Pesquisa pra faculdade”, mas diversos seguidores acreditaram se tratar de um pesquisador do Datafolha, instituto de pesquisa do Grupo Folha.

O vídeo completo, como é possível ver pela marca d’água do trecho usado pelo deputado, foi publicado no TikTok do humorista Mizael Silv com hastags indicando se tratar de “#humor #pegadinhas #comedia”. Inclusive, quatro pessoas são supostamente entrevistadas por ele na pegadinha. Dois homens afirmam que votarão em Bolsonaro (PL) e outros dois afirmam que votarão em Lula – o criador de conteúdo faz a mesma pegadinha com todos, dizendo aos que votarão em Lula que preencherá a pesquisa colocando o nome de Bolsonaro.

Enganoso, para o Comprova, é o conteúdo retirado do contexto original e usado em outro de modo que seu significado sofra alterações; que usa dados imprecisos ou que induz a uma interpretação diferente da intenção de seu autor; conteúdo que confunde, com ou sem a intenção deliberada de causar dano.

Alcance da publicação: O Comprova investiga os conteúdos suspeitos de maior alcance nas redes sociais. O post verificado aqui teve 177 mil visualizações no Facebook.

O que diz o autor da publicação: Procurado, Jordy não respondeu ao contato da reportagem.

Como verificamos: O primeiro passo foi ampliar a marca d’água que aparece no canto inferior direito do vídeo postado pelo deputado. Ali, é possível identificar que se trata de um vídeo publicado no perfil de @mizaelsillv no TikTok. Logo ao entrar neste perfil, verifica-se tratar de uma página de humor. A maioria dos vídeos é identificada com as hashtags #humor, #pegadinhas e #comedia.

Continua após a publicidade

O Comprova entrou em contato com Carlos Jordy via mensagem no Facebook, mas não obteve retorno. No Instagram, tentou falar com o humorista, para saber mais detalhes do vídeo, mas também não recebeu resposta.

O vídeo

A gravação completa tem 1 minuto e 25 segundos. Logo no início – o que não aparece no trecho postado pelo deputado, de 36 segundos –, o humorista diz ao primeiro homem entrevistado que está fazendo uma pesquisa para a faculdade. Ou seja, mesmo sendo uma pegadinha, não há nenhuma menção ao Datafolha ou outro instituto de pesquisa.

Após se apresentar, ele diz: “Essa pesquisa vai passar em rede nacional, aí, vim perguntar ao pessoal no centro, vai votar em quem? Lula ou Bolsonaro?”. O primeiro entrevistado que aparece responde que vai votar em Bolsonaro. Mizael, então, afirma: “Eu vou botar o senhor como se fosse votar em Lula porque o senhor não tem cara de quem vota em Bolsonaro, não”. Quando o segundo entrevistado aparece, o humorista diz: “Vou botar o senhor aqui como Bolsonaro; o senhor tem cara de quem vota em Bolsonaro.”

O terceiro entrevistado também declara seu voto para o pré-candidato petista. O quarto, que vai votar em Bolsonaro, é o que aparece no trecho do post do deputado federal.

Comentários

Entre os comentários dos seguidores de Carlos Jordy, muitos acreditam se tratar de uma pesquisa verídica. Um deles cita: “Não tem jeito, se Bolsonaro não for reeleito no primeiro turno, fraudaram as urnas”.

Em outra interação, a seguidora menciona: “Hoje o que mais me preocupa é que está claro que estão armando um golpe de fraude nas urnas! Não podemos aceitar isso!”.

Em nenhum momento o parlamentar faz menção de que o conteúdo do vídeo foi retirado de um perfil de humor. Até a tarde de sexta-feira (10), cerca de 1.500 comentários foram feitos neste post.

Por que investigamos: O Comprova investiga conteúdos sobre pandemia, eleições e políticas públicas que atinjam grau de viralização nas redes sociais. Com a proximidade do período eleitoral, cresce o número de conteúdos divulgados nas redes sociais tentando desacreditar as pesquisas de opinião. Informações desse tipo prejudicam a confiança das pessoas sobre os institutos de pesquisa e podem influenciar o voto de forma equivocada. A decisão do eleitor deve ser tomada com base em informações verdadeiras.

Outras checagens sobre o tema

Institutos de pesquisa são alvos frequentes de peças de desinformação. Nesta semana, o Comprova verificou ser falso áudio que atribuía a ex-diretor do Datafolha declarações sobre supostas fraudes em pesquisas eleitorais e manipulação de votos nas urnas eletrônicas. Também já checou vídeo que engana ao dizer que pesquisas foram forjadas na eleição de Bolsonaro em 2018 e um site que omitiu que uma pesquisa com vantagem para Bolsonaro foi feita apenas em Santa Catarina.

A investigação deste conteúdo foi feita pelo jornal Folha de S.Paulo e pelo Portal Norte de Notícias, e a verificação por SBT, A Gazeta, Metrópoles, CBN Cuiabá e O Estado de S. Paulo.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)