Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
. Thomas Traumann Jornalista e consultor de comunicação, é autor de "O Pior Emprego do Mundo", sobre o trabalho dos ministros da Fazenda. Escreve sobre política e economia

Pesquisa mostra em quem votam os que não querem nem Bolsonaro, nem Lula

Levantamento Genial/Quaest mostra quais eleitores podem fazer voto útil se eleição puder ser decidida no primeiro turno

Por Thomas Traumann 16 mar 2022, 07h08

A pesquisa Genial/Quaest divulgada nesta quarta-feira, 16, revela o tamanho do voto útil para Lula da Silva e Jair Bolsonaro caso a eleição possa ser decidida ainda no primeiro turno. Assim como outras pesquisas anteriores, a Quaest registrou uma estabilização de Lula em primeiro lugar com 46% com Bolsonaro em segundo com 26%, três pontos percentuais acima de janeiro.

Os demais candidatos estão tão distantes que deixaram de ser competitivos. Somados, Ciro Gomes, Sergio Moro, João Doria, Eduardo Leite, Simone Tebet, André Janones, Felipe D’Ávila tem menos de 20% das intenções de voto, segundo a Genial/Quaest.

Com Lula e Bolsonaro concentrando os votos e as paixões populares, a pergunta natural é: “os eleitores dos outros candidatos podem mudar seus votos para evitar que um dos dois vença?” A resposta na pesquisa Quaest é “sim”. E Lula tem mais capacidade de atrair o voto desse eleitor do que Bolsonaro.

Primeiro, os entrevistadores perguntaram quem o eleitor gostaria que vencesse. A resposta foi:

Lula 44%

Bolsonaro 26%

Nem Bolsonaro, nem Lula 25%

Depois, eles apresentaram ao eleitor que respondeu Nem-Bolsonaro-Nem-Lula os seguintes cenários:

Se o primeiro turno fosse hoje e Lula tivesse grande chance de ser eleito sem precisar o segundo turno, você votaria nele mesmo preferindo outro candidato?

Sim 34%

Não 66%

Se o primeiro turno fosse hoje e Bolsonaro tivesse grande chance de ser eleito sem precisar o segundo turno, você votaria nele mesmo preferindo outro candidato?

Sim 23%

Não 77%

Continua após a publicidade

Isso significa que se a eleição estiver muito polarizada, com um dos dois líderes perto de ganhar no primeiro turno, Lula tem a possibilidade de arrebanhar mais 8,5 pontos percentuais (o que equivale a 34% dos 25% que disseram preferir Nem-Bolsonaro-Nem-Lula), enquanto Bolsonaro pode subir até 5,7 pontos percentuais (23% dos mesmos 25% que disseram preferir Nem-Bolsonaro-Nem-Lula).

Como Lula tem a torcida de 44% e Bolsonaro só de 25%, se houver uma campanha de voto útil pró-Lula, o ex-presidente tem chance de eventualmente fechar a eleição no primeiro turno.

A pesquisa Genial/Quaest também mostra quem são esses eleitores que podem pular do barco para votar em Lula ou Bolsonaro.

Poderiam votar em Lula para acabar a eleição no primeiro turno:

Eleitores de Ciro Gomes 34%

Eleitores de Sergio Moro 21%

Eleitores de João Doria 22%

Eleitores de outros candidatos 38%

Poderiam votar em Bolsonaro para acabar a eleição no primeiro turno:

Eleitores de Ciro Gomes 16%

Eleitores de Sergio Moro 32%

Eleitores de João Doria 14%

Eleitores de outros candidatos 27%

O voto útil é dos temas favoritos da ciência política. Há farta literatura estudando as circunstâncias nas quais um eleitor decide desertar de um candidato sem chance de vitória em favor de outro, menos preferido, mas com maior possibilidade. Num sistema multipartidário com dois turnos, como o brasileiro, é comum que os eleitores usem seu voto como uma decisão estratégica para ou tentar acabar a eleição no primeiro turno ou escolher um candidato mais forte para o segundo.

Os dois registros mais recentes de voto útil foram contra o PT. Em 2018, Bolsonaro foi favorecido por um movimento de possível vitória no primeiro turno que solapou os votos de Geraldo Alckmin, João Amoêdo e Marina Silva. Em 2014, Aécio Neves foi favorecido pela impressão de que teria mais chances de vitória que Marina Silva na disputa do segundo turno. Em 2002, a campanha Lula ensaiou uma tentativa de voto útil no final do primeiro turno, mas não deu certo.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)