Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Nova Temporada Por Fernanda Furquim Este é um espaço dedicado às séries e minisséries produzidas para a televisão. Traz informações, comentários e curiosidades sobre produções de todas as épocas.

Fox aprova a produção de quatro dramas e duas comédias para a Temporada 2016-2017

Antecipando seu Upfront, evento em que os canais da rede aberta anunciam sua nova programação, o canal Fox começa a aprovar a produção de séries que tiveram pilotos encomendados para avaliação. Segundo divulgado pela imprensa americana, o canal já teria aprovado a primeira temporada de quatro dramas e duas comédias: The Exorcist, Lethal Weapon, A.P.B. , […]

Por Fernanda Furquim Atualizado em 30 jul 2020, 22h46 - Publicado em 11 Maio 2016, 01h35

FoxAntecipando seu Upfront, evento em que os canais da rede aberta anunciam sua nova programação, o canal Fox começa a aprovar a produção de séries que tiveram pilotos encomendados para avaliação.

Segundo divulgado pela imprensa americana, o canal já teria aprovado a primeira temporada de quatro dramas e duas comédias: The Exorcist, Lethal Weapon, A.P.B. , Pitch, Making HistoryThe Mick. O canal deverá confirmar a encomenda das séries no dia 16 de maio, quando realiza a apresentação de seu Upfront. Vale lembrar que a Fox já tinha aprovado as produções de 24: Legacy, série derivada de 24 Horas, e de Star.

Alfonso Herrera e Geena Davis em 'The Exorcist' (Foto: Jean Whiteside/Fox)

Alfonso Herrera e Geena Davis em ‘The Exorcist’ (Foto: Jean Whiteside/Fox)

The Exorcist é uma adaptação de Jeremy Slater, responsável pelo roteiro, James Robinson, David Robinson e Barbara Wall da obra de William Blatty, publicada em 1971, a qual já gerou uma franquia cinematográfica. Blatty escreveu o livro com base em um caso de desobsessão ocorrido em 1949, sobre o qual ele ouviu falar na década de 1950, quando era estudante.

No livro, um Padre jesuíta é chamado para ajudar a menina Regan, que apresenta um comportamento agressivo. Vivendo uma crise de fé, o padre tenta tratar a menina pelo ponto de vista psiquiátrico. Mas logo percebe que seu problema é outro. Acreditando que a menina esteja possuída pelo demônio, o Padre pede permissão ao Bispo para exorcizar Regan. Este, por sua vez, não acreditando que o Padre seja capaz de realizar o exorcismo, indica o Padre Merrin, que já exerceu esta função na África.

Na versão do canal Fox, a história acompanha os trabalhos de outros personagens, que tentarão ajudar a família Rance.

Angela Rance (Genna Davis, de Commander in Chief) é mãe de Charlotte (Brianne Howey, de Twisted), uma jovem que sofreu um grave acidente, o que a levou a ficar confinada ao seu quarto; e de Casey (Hannah Kasulka, de The Fosters), uma menina tímida e solitária.

Quando uma delas começa a apresentar sinais de possessão demoníaca, a família pede ajuda ao padre Thomas Ortega (Alfonso Herrera, de Sense8, The Chosen), um jovem amável e compassivo; e ao padre Marcus Lang (Ben Daniels, de House of Cards, Flesh and Bone), um santo guerreiro.

No elenco também está Kurt Egyiawan, como o Padre Bennett, contato da igreja com o Vaticano.

A produção é da 20th Century Fox TV e Morgan Creek Productions.

 

Lethal Weapon

(E-D) Clayne Crawford e Damon Wayans em ‘Lethal Weapon’ (Foto: Richard Foreman/Fox)

Lethal Weapon é a versão televisiva do filme Máquina Mortífera.  A adaptação é de Matt Miller (Chuck, Forever) e McG.

No filme, o Sargento Roger Murtaugh (Danny Glover) começa a trabalhar ao lado de Martin Riggs (Mel Gibson), um ex-militar que atuou no departamento de Narcóticos antes de ser transferido para a Homicídios. Adotando um comportamento quase suicida, Riggs ainda não conseguiu superar a morte da esposa.

Na versão para a TV, a história apresenta Martin Riggs (Clayne Crawford, de Rectify), um policial texano e ex-fuzileiro que, após a morte da esposa e do bebê, se muda para Los Angeles em busca de uma nova vida. Lá ele é designado a trabalhar com o detetive Roger Murtaugh (Damon Wayans, de Eu, a Patroa e as Crianças/My Wife and Kids), um homem que ainda se recupera de um pequeno ataque cardíaco, razão pela qual ele tenta evitar situações estressantes.

No elenco também estão Keesha Sharp (Are We There Yet?, American Crime Story), como Trish, a esposa dedicada de Roger, que não está nada animada em saber que o marido arranjou como colega de trabalho um sujeito meio maluco; Jordana Brewster (Dallas, Secrets & Lies US), como a Dra. Maureen Cahill, mais conhecida como Mo, terapeuta especialista em negociações em situações com reféns. Entre suas funções também está a de auxiliar policiais a superarem traumas; Kevin Rahm (Mad Men), como o Capitão Avery, um policial recém promovido que está mais interessado em política; Chandler Kinney, como Riana, filha adolescente de Roger Murtaugh; e Jonathan Fernandez, como Scorsese, o patologista do departamento de polícia.

Keesha substituiu Golden Brooks (Blunt Talk, Girlfriends, Hart of Dixie), originalmente contratada para interpretar Trish.

A produção é da Warner Brothers Television em parceria com a Lin Pictures e Good Session Productions.

 

Kylie Bunbury e 'Pitch' (Foto: Ray Mickshaw / FOX)

Kylie Bunbury e ‘Pitch’ (Foto: Ray Mickshaw/Fox)

Pitch é um drama de Dan Fogelman (Grandfathered), Rick Singer (Younger), responsáveis pelo roteiro, Tony Bill e Helen Bartlett.

Ainda não está claro, mas é possível que a série tenha sido inspirada nas vidas de Mo’Ne Davis, uma lançadora de 14 anos que se tornou a primeira menina afro-americana a integrar uma equipe de baseball vencedora de um jogo da Little League World Series; e da francesa Melissa Mayeux, que em 2015 se tornou a primeira mulher capaz de ser contratada por qualquer grande equipe internacional de baseball.

A história da série acompanha a vida de Ginny (Kylie Bunbury, de Tut, Under The Dome) que faz carreira como jogadora de baseball, tornando-se a primeira mulher a ser contratada por uma grande liga.

Continua após a publicidade

No elenco também estão Mark-Paul Gosselaar (Franklin & Bash), como Mike Lawson, jogador de baseball conquistador que se vê atraído por Ginny, mas ainda não sabe como lidar com este sentimento; Ali Larter (Legends, Heroes), como Amelia Slater, profissional que cuida da imagem pública de Ginny; Mo McRae (Sons of Anarchy, Murder in the First), como Blip, jogador de baseball e amigo de Ginny; Meagan Holder (Born Again Virgin, Ringer) como Evelyne, esposa de Blip; Tim Jo (The Neighbors, Glory Daze) como Eliot, responsável por cuidar das atividades de Ginny nas redes sociais; Mark Consuelos (Alpha House, Kingdom), como Oscar, ex-jogador de baseball que agora é presidente do clube no qual Ginny atua; Bob Balaban (Show Me a Hero, Web Therapy), como Frank Reid, proprietário do time de baseball que decide contratar Ginny, apesar do risco que corre; Dan Lauria (Anos Incríveis), como Al Sciutto, o responsável pelo time.

Larter substitiuiu Elisabeth Shue (CSI), originalmente contratada para interpretar Amelia.

A produção é da 20th Century Fox TV.

 

Justin Kirk e Caitlin Stacey e 'APB' (Foto: Chuck Hodes/Fox)

Justin Kirk e Caitlin Stacey e ‘APB’ (Foto: Chuck Hodes/Fox)

A.P.B. é uma série de David Slack (Person Of Interest) e Len Wiseman (Sleepy Hollow, Lucifer). A história foi inspirada na matéria Who Runs the Streets of New Orleans, de David Amsden, publicada pelo The New York Times em 2015.

Quando a mulher por quem era apaixonado é assassinada, Gideon Reed (Justin Kirk, de Weeds), um bilionário que fez sua fortuna no ramo das novas tecnologias, decide adquirir uma delegacia de polícia cheia de problemas. Assim, ele utiliza uma nova abordagem para tentar colocar os policiais na linha.

Na delegacia trabalham o Sargento Tom Murphy (Eric Winter, de The Mentalist, The Witches of East End), um sujeito durão mas com um grande coração. Tom é casado com a detetive da homicídios Amelia Murphy (Natalie Martinez, de Kingdom, Under the Dome), com quem tem dois filhos.

Bastidores de 'A.P.B.' (Foto via Instagram de Natalie Martinez)

Bastidores de ‘A.P.B.’ (Foto via Instagram de Natalie Martinez)

Amelia é uma mulher de humor irônico que veio de uma família de policiais. Sempre questionando as ordens de seus superiores, ela foi relegada à 13ª Delegacia de Polícia onde não consegue se relacionar com os colegas.

No elenco também estão Caitlin Stasey (Reign, Please Like Me), como Ada Hamilton, mulher inteligente, cínica e durona, que é contratada pelo bilionário para liderar a equipe que controla as novas tecnologias; Taylor Handley (Vegas, Southland, The O.C.), como Roderick Brandt, um ex-fuzileiro que, atuando como policial, tem dificuldades de separar os horrores que enfrentou na guerra com os crimes que corriqueiramente ocorrem nas ruas de Nova Iorque; Ernie Hudson, como Ed Conrad, um policial veterano; e Tamberla Perry, como Tasha Goss, outra policial da delegacia.

A produção é da 20th Century Fox.

 

(E-D) Adam Pally e Yassir Lester em 'Making History' (Foto: Qantrell Colbert/Fox)

(E-D) Adam Pally e Yassir Lester em ‘Making History’ (Foto: Qantrell Colbert/Fox)

Making History é uma comédia criada por Julius Sharpe (The Grinder), Phil Lord, Chris Miller e Seth Cohen (The Last Man on Earth). A série chegou a ser divulgada com o título de In Time, quando ainda estava na fase de desenvolvimento de projeto.

Na linha do filme Peggy Sue, seu Passado a Espera e da série canadense Being Erica, a história apresenta amigos que viajam pelo tempo. Retornando ao passado na tentativa de corrigir seus erros, eles acabam complicando suas respectivas vidas no presente. Para piorar, ao reviver momentos marcantes da sociedade, eles também provocam confusão com a cultura popular e a história.

Dan (Adam Pally, de Happy Endings, The Mindy Project) é um nerd e professor de computação que não consegue manter uma boa relação, seja com os colegas de trabalho ou com seus alunos. Extremamente inteligente, ele descobre uma forma de viajar no tempo na esperança de recomeçar sua vida com uma nova postura. Ao seu lado está Chris (Yassir Lester, de The Carmichael Show, Girls), um professor de história que é adorado pelos alunos e colegas graças à sua capacidade de lembrar de eventos históricos, os quais ele utiliza para inspirar as pessoas.

Em suas viagens no tempo, os dois se unem à Deborah (Leighton Meester, de Gossip Girl), que vive no ano de 1775. Embora tenha crescido em uma sociedade na qual a mulher não tinha grandes oportunidades, ela demonstra ter opiniões modernas sobre igualdade social.

A produção é da 20th Century Fox.

Cena de 'The Mick', com Kaitlin Olson (D) (Foto: Fox)

Cena de ‘The Mick’, com Kaitlin Olson (D) (Foto: Fox)

The Mick, comédia criada por John Chernin, Dave Chernin, Randall Einhorn, Oly Obst e Nicholas Frenkel.

Na história, Mackenzie, mais conhecida como Mickey (Kaitlin Olson, de It’s Always Sunny in Philadelphia), é uma mulher desbocada que se muda para uma comunidade de alta classe para criar os filhos mimados de sua irmão Christopher (Laird Macintosh), que precisou fugir do país com a esposa para evitar um processo federal.

No elenco também estão Sofia Black D’Elia (Skins, The Messenger, Gossip Girl), como Sabrina, Thomas Barbusca (Wet Hot American Summer: First Day in the Camp), como Chip, e Jack Stanton, como Ben, os sobrinhos de Mickey;  Carla Jimenez (Raising Hope, Last Man Standing), como Alba, a empregada de Mickey; e Susan Park (Fargo, Vice Principals) como Liz.

A produção é da 20th Century Fox TV e 3 Arts Entertainment.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês