Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Tela Plana Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Kelly Miyashiro
Críticas e análises sobre o universo da televisão e das plataformas de streaming
Continua após publicidade

‘The Idol’: a reação de uma coordenadora de intimidade à série picante

Nova produção da HBO é alvo de críticas por teor sexual excessivo – e fez retrato que ridiculariza esses monitores de cenas de alcova

Por Gabriela Caputo
16 jun 2023, 17h11

Nova aposta das noites da HBO, The Idol conseguiu conquistar a apatia de boa parcela da crítica e do público em apenas dois episódios, muito pelo roteiro fraco marcado por teor sexual excessivo. No primeiro episódio, há uma cena que ilustra o show de horrores: um coordenador de intimidade — profissional contratado para garantir que a estrela não passe por desconforto e constrangimentos durante o trabalho — é trancado em um banheiro quando interfere em um ensaio de fotos de Jocelyn (Lily Rose-Depp). Ele aponta que o contrato firmado não permitia cliques de nu frontal, e que seria necessário um novo documento para acomodar a disposição da celebridade em exibir mais de seu corpo. A revista americana Variety entrevistou uma coordenadora de intimidade não ligada à produção para avaliar a cena, e a reação foi de decepção. “Me senti realmente traída por eles estarem tirando sarro de nós e da função. Eles estavam nos usando como alvo de piada”, disse Marci Liroff, que já trabalhou em produções como This Is Us.

O sentimento de traição vem do fato de a HBO ter sido a primeira emissora a contratar uma coordenadora de intimidade, Alicia Rodis, para uma grande produção, The Deuce, em 2018. Segundo Marci, a comunidade formada por esses profissionais enxerga a HBO como um lar seguro, já que seu pioneirismo estabeleceu um padrão na indústria. “O trabalho deles com Alicia Rodis foi tão bom que eles tornaram obrigatório que todos os projetos na HBO [com cenas sexualmente íntimas] deveriam contratar um coordenador de intimidade”, lembrou Marci.

Se o sentimento inicial foi de choque, Marci em seguida se viu dividida, já que The Idol fez um retrato pertinente de como o profissional que fiscaliza a intimidade nem sempre é compreendido ou bem recebido nos sets de filmagens. “Eu estive em algumas situações em que há muita resistência de um diretor ou produtor que não entende bem o que trazemos para um set. Nossa posição é muito semelhante a de um coordenador de acrobacias, e você nunca faria algumas das coisas que foram feitas comigo a um coordenador de acrobacias”, explicou. “Então, refleti e percebi que esse era um retrato realmente muito preciso — embora aumentado e extremo — de algumas das situações malucas que já experimentei”.

Continua após a publicidade

A profissional enfatizou para a Variety que o trabalho de um coordenador de intimidade envolve uma série de conversas e reuniões, individuais e coletivas, com as pessoas no comando da produção e com os atores e atrizes envolvidos. Qualquer mudança no que foi previamente acordado e firmado por escrito, conforme mostrou a série, demanda 48 horas de atraso na produção, para que o ator ou atriz não se sinta pressionado a alterar seus limites enquanto está set. De qualquer forma, a insatisfação de Marci com a cena de The Idol persiste: “É um trabalho muito sutil e complexo. É muito difícil explicar, em uma cena, o que fazemos. E essa cena nos tornou o alvo de uma piada, no fim das contas”, avaliou a coordenadora.

 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.