Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês
Tela Plana Por Blog Críticas e análises sobre o universo da televisão e das plataformas de streaming

Quase 20 anos após o fim, ‘Friends’ ainda paga pelos pecados do passado

Cocriadora da série, Marta Kauffman se esforça para reparar a falta de diversidade racial e se arrepende de erros de pronome trans na história

Por Kelly Miyashiro 6 jul 2022, 12h06

Uma das séries mais famosas de todos os tempos, Friends ainda paga pelos pecados cometidos no passado. Cocriadora da produção ao lado de David Crane, Marta Kauffman tem se mostrado disposta a reparar os erros da trama como a falta de diversidade do elenco e as piadas com a transição de gênero de uma personagem. Recentemente, a executiva anunciou a doação de 4 milhões de dólares ao Departamento de Estudos Afro-Americanos da Brandeis University em compensação pela ausência de negros no elenco. Agora, em um entrevista à emissora BBC que vai ao ar em 11 de julho, Marta disse se arrepender de como o programa se referia à mãe trans de Chandler (Matthew Perry) como “pai”.

“Os pronomes ainda não eram algo que eu entendia. Então não nos referimos a essa personagem como ‘ela’. Isso foi um erro”, constatou a produtora sobre a personagem Helena Handbasket, interpretada por Kathleen Turner em Friends. A própria atriz também já alegou, em 2019, que hoje em dia não aceitaria o papel. “Haveria pessoas reais capazes de fazer [o papel].”, defendeu Kathleen no programa de Andy Cohen na época.

Marta Kauffman também é criadora de Grace and Frankie, da Netflix, e disse ainda que se esforça para sua equipe ficar confortável. “Gosto muito de criar um ambiente onde tenhamos um set feliz e uma equipe feliz. É muito importante para mim que onde estamos seja um lugar seguro, um lugar tolerante, onde não haja gritos. Eu demiti um cara na hora por fazer uma piada sobre um cinegrafista trans. Isso simplesmente não pode acontecer”, declarou Kauffman.

“Aprendi muito nos últimos 20 anos. Admitir e aceitar a culpa não é fácil. É doloroso se olhar no espelho. Estou envergonhado que eu não sabia melhor 25 anos atrás. Friends foi criticada de várias maneiras. A maior delas é que não tínhamos representação suficiente dos negros. E ao longo dos últimos anos cheguei ao ponto em que posso dizer, infelizmente, ‘Sim, sou culpada disso’. Nunca mais cometerei esse erro”, continuou ela.

“Eu era claramente parte do racismo sistêmico em nosso negócio. Eu não sabia disso, o que me faz sentir estúpido. Essa foi uma crítica muito válida, extremamente difícil que ainda me emociona. Se eu soubesse então o que sei agora, há certas coisas que eu teria mudado. Mas eu não os conhecia e aprendi desde então”, completou a americana.

Com dez temporadas no total, Friends foi ao ar originalmente entre 1994 e 2004 e ainda é sucesso no streaming. No ano passado, o elenco se reuniu recentemente para um especial da HBO Max. 

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)