Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Tela Plana

Por Kelly Miyashiro Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Críticas e análises sobre o universo da televisão e das plataformas de streaming
Continua após publicidade

O segredo do inexplicável sucesso da tenebrosa ‘Quem Matou Sara?’

Série mexicana levou o espectador do “é ruim mas é bom” para o “é ruim, mas estou ciente e quero continuar até o fim”

Por Marcelo Canquerino 27 Maio 2022, 10h30

O texto contém spoilers da terceira temporada de Quem Matou Sara? 

Poucos títulos hoje em dia carregam com tamanha propriedade a frase “parece uma novela mexicana” quanto a série (de fato mexicana) Quem Matou Sara?. O popular título da Netflix acaba de chegar ao fim (aleluia!), em sua terceira temporada, com muitos absurdos e enrolação no caminho para explicar a pergunta do título. O mistério que não quer calar, porém, é: “Por que é tão difícil parar de ver essa série?”. Seria a tal Síndrome de Estocolmo?

Durante as duas primeiras partes da trama, a busca por vingança de Alex Guzman (Manolo Cardona) pela morte de sua irmã Sara (Ximena Lamadrid) foi repleta de revelações chocantes — com direito ao surgimento de um novo cadáver e mais suspeitos. O mistério ganhou uma conclusão (para lá de risível) com a chegada da terceira e última temporada. 

Existem razões para que a produção da gigante do streaming faça tanto sucesso. Com o passar dos episódios, a carga de todos os elementos que o povo gosta só aumenta: sexo e violência são abundantes, enquanto as famosas reviravoltas rocambolescas surgem de onde menos se espera. A nova leva de capítulos começa plantando uma dúvida sobre Sara estar realmente morta após a polícia abrir o seu caixão e não encontrar, veja bem, nenhum corpo. 

Continua após a publicidade

A trama que outrora fazia sentido e que investia no suspense em torno da morte da garota, apresentando um leque de personagens que tinha motivos reais para matá-la, foi perdendo o sentido e descambou para o absurdo completo na reta final. Além da dúvida sobre Sara estar viva, é revelado ainda que a garota foi parar num tratamento experimental chamado Medusa para seus transtornos mentais. Mas a principal patacoada da temporada está na filha secreta que Sara teve, interpretada pela mesma atriz, mas com uma peruca tenebrosa. Surge então outra dúvida: teria faltado dinheiro para uma peruca melhor por causa da adição da ex-RBD Maite Perroni no elenco? Se foi, não valeu a pena. A atriz-celebridade dá vida  (com pouca vida) à uma advogada sem tempero.  

Encerrando o grande mistério da série da maneira mais previsível e sem criatividade possível, Quem Matou Sara? foi do “é ruim mas é bom” para o “é ruim, mas estou ciente e quero continuar”. Afinal, depois de tantas idas e vindas o público tem o direito de saber quem é o assassino — por mais que a resposta não valha a pena. E não valeu. 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.