Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Tela Plana Por Blog Críticas e análises sobre o universo da televisão e das plataformas de streaming

‘Euphoria’ bate recorde e é maior estreia da HBO Max na América Latina

Série foi vista por mais de 2 milhões de usuários, feito inédito para a plataforma na região e supera desempenho de sua temporada anterior

Por Amanda Capuano 14 jan 2022, 15h12

A segunda temporada de Euphoria estreou na HBO no último domingo, 9, e bateu recorde no streaming. Conforme divulgado pelo canal, o primeiro episódio da nova leva já é a estreia mais bem sucedida da plataforma HBO Max – só no dia do lançamento, a produção atingiu uma audiência inédita entre seus assinantes na América Latina, tornando-se a série mais vista pelos usuários da plataforma na região. Segundo divulgado pela Variety, o episódio foi assistido por 2,4 milhões de pessoas, mais que qualquer outro desde o lançamento da HBO Max.

O desempenho é reflexo da alta expectativa criada pela continuação da trama, que chega ao público quase dois anos e meio depois do encerramento da temporada inicial, em agosto de 2019. O retorno, aliás, atingiu mais espectadores que a temporada anterior. A visualização digital, por meio do streaming, foi nove vezes maior do que a estreia da primeira temporada, e quase quatro vezes maior que o episódio final. A estreia da segunda temporada também foi dez vezes mais bem sucedida que os dois episódios especiais exibidos entre o final de 2020 e início de 2021.

“Seguindo o sucesso da comemoração de 20 anos de Harry Potter: De Volta a Hogwarts, a audiência da plataforma demonstra um forte crescimento neste início de ano e a performance da segunda temporada de Euphoria na América Latina supera as expectativas da HBO Max refletindo o interesse do público local em produções inovadoras e de alta qualidade, com narrativas complexas, temas relevantes e elenco premiado”, diz o comunicado à imprensa.

Protagonizada pelo fenômeno Zendaya, a produção acompanha a dependente química e adolescente bipolar Rue Bennett, que trava uma batalha árdua contra o vício e seu transtorno psicológico ao longo dos episódios. Embora a história retrate a vida nada regrada de adolescentes no ensino médio, e conte com a atuação da nova queridinha da geração Z, a produção não é recomendada para menores de 18 anos devido às cenas explícitas de uso de drogas, violência e sexo.

 

Continua após a publicidade

Publicidade