Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Tela Plana

Por Kelly Miyashiro
Críticas e análises sobre o universo da televisão e das plataformas de streaming
Continua após publicidade

Entenda a polêmica envolvendo pais de vítimas da Boate Kiss e a Netflix

Familiares de jovens mortos em tragédia de Santa Maria (RS) divergem sobre minissérie 'Todo Dia a Mesma Noite', ficção que retrata o caso

Por Kelly Miyashiro Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 2 fev 2023, 05h31 - Publicado em 1 fev 2023, 15h41

Pais de vítimas da Boate Kiss, onde um incêndio provocou a morte de 242 pessoas em Santa Maria (RS) em 2013, divergem quanto aos sentimentos a respeito da minissérie Todo Dia a Mesma Noite, da Netflix, que faz um retrato da tragédia ao longo de cinco capítulos. Os familiares que foram informados do desenvolvimento da série e que aprovam a forma como foi feita são integrantes da Associação dos Familiares de Vítimas e Sobreviventes da Tragédia de Santa Maria e são os mesmos que tiveram suas histórias contadas tanto na série como no livro homônimo que originou a produção, escrito por Daniela Arbex. Em contrapartida, outro grupo de familiares de vítimas não gostou de ver o drama no serviço no serviço de streaming.

Em entrevista a VEJA, Daniela Arbex contou que havia entrado em contato com as pessoas que inspiraram as duas obras e, segundo a jornalista, o retorno era positivo. “Essa série é sinônimo de cuidado, teve cuidado o tempo inteiro, com a preparação no roteiro, na direção, no cuidado com que eles também vão sentir. Então, antes de ser anunciado publicamente que haveria uma minissérie de ficção, eles foram avisados primeiro. E o retorno que eles estão dando para mim, especificamente pelo contato que eu tenho com eles, é de muita emoção e gratidão. São mensagens dizendo ‘obrigada por não deixar essa história cair no esquecimento”, relatou Daniela.

“Diziam muito: ‘Obrigada por eternizar as história. Obrigada por amplificar a nossa voz’. Porque há ainda uma necessidade de que eles tenham voz, de que o Brasil perceba que são dez anos de luta, então, no geral, o que eu sinto é que terá um grande acolhimento. Porque eles também entendem a importância de reverberar a luta deles para o mundo”, completou.

Continua após a publicidade

Já outro grupo de pais de vítimas pretende processar a Netflix pois não concorda que a produção lucre com a tragédia. Eles são representados pela advogada Juliane Muller Korb. A princípio, eles alegam que não foram informados sobre o desenvolvimento da produção, sendo pegos de surpresa com a série e agora esperam que parte dos lucros seja revertida para o tratamento de sobreviventes e para a construção de um memorial das vítimas da Kiss. Todo Dia a Mesma Noite alcançou a sexta posição do ranking mundial da Netflix.

A Associação dos Familiares de Vítimas e Sobreviventes da Tragédia de Santa Maria publicou uma nota nas redes sociais para defender a série. “Mostrar o que aconteceu na Kiss faz com que a morte de nossos filhos e filhas, irmãos e irmãs, pais e mães, amigos e amigas não tenha sido em vão. Mostrar a morosidade, a burocracia e como é o sistema judiciário brasileiro serve como denúncia e como protesto. É preciso falar, debater, produzir materiais sobre o que aconteceu naquela trágica noite de 27 de janeiro de 2013, pois só assim conseguiremos que as pessoas entendam o que a ganância, a negligência e a omissão são capazes de fazer. Em Santa Maria, esses fatores mataram 242 jovens e deixaram 636 com marcas físicas e psicológicas”, diz parte do comunicado. Confira:

View this post on Instagram

A post shared by AVTSM (@avtsm27)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.